segunda-feira, 30 de Março de 2009

Restaurante Arcadas da Capela e Chefe Albano Lourenço

http://www.quintadaslagrimas.pt/
QUINTA DAS LÁGRIMAS - Rua António Augusto Gonçalves – Coimbra
Telefone: 239802380 / reservas@quintadaslagrimas.pt

Há restaurantes e chefes que procuram estrelas michelin, e há estrelas que procuram os chefes.

Foi certamente assim que descobriram um dos melhores talentos da cozinha em Portugal, e quem o alberga é a quinta das lágrimas, com o Restaurante Arcadas da Capela.

Albano Lourenço é o seu nome, e é o chefe executivo do restaurante “Arcadas da Capela”, e responsável pela “Escola dos chefes” na quinta das lágrimas em Coimbra.

A sua cozinha única, evolutiva, e esplendorosa é apelidada de “Cozinha de Mercado”, e como parar é esquecer, todos os trimestres lembra-se de progredir para uma nova ementa.

O Restaurante único, rodeado de jardins e de história, mantém sempre presente de forma romântica a narrativa de D.Pedro e Inês, não só pela sua decoração leve e distinta, como pelo charme oferecido a cada prato desenvolvido pelo Chefe.

A salada de lavagante, vinagreta de pera Rocha da Cova da Beira, o Creme de castanhas com ovo de codorniz e lâminas de foie-gras acompanhados por um Moscatel Roxo Rose e Porto Branco Reserva são as minhas opções de entrada; Sigo para o lombo de atum salteado com risotto de açafrão e molho de papoila que se acompanha bem de um branco seco, seguido pelo rabo de boi confitado em vinho do Dão com puré de batata ágria trufado, que só pode ter como companhia o vinho tinto Pedro e Inês. Finalizo com uma mousse de chocolate com telhas de flor de sal e um Madeira encorpado – uma refeição perfeita!

A carta de vinhos é de tal maneira variada e rica que dificilmente há um paladar, casta ou região que não encontre.

Pasme-se com esta notícia: O restaurante Arcadas da Capela diversificou a oferta, tendo agora à disposição ao almoço o Menu do Chefe, onde pode escolher-se uma entrada, um prato principal e uma sobremesa, tudo por apenas 19 euros por pessoa.

Assim é ainda mais difícil resistir… eu já fui e você?


Chefe Albano Lourenço

Estudou na Escola de Hotelaria e Turismo do Algarve, passou pelo restaurante S. Gabriel, em que trabalhou como ajudante de Vincent Ness, e hoje, é chefe de cozinha do prestigiado restaurante “Arcadas da Capela” na Quinta das Lágrimas, em Coimbra.

domingo, 29 de Março de 2009

Restaurante Choupana-Gordinni


http://www.choupanagordinni.com/
Av. Marginal 5579 São João do Estoril
Telefone: 214664123 / 933060003

Se estivermos indecisos entre escolher ir à noite ou durante o dia, vá de manhã e saia à noite, pois a vista, a comida e a decoração da choupana são para qualquer hora.

Os atributos desta casa vão para lá da vista, brindando com um serviço rápido e eficaz e uma cozinha moderna, internacional e italiana, mas principalmente agradável.

Comece pelas Amêijoas à bulhão pato e o Tataki de atum, experimente o Magret de pato, não hesite em optar sobre qualquer Risoto (destaca-se o de vieiras), e acabe com uma Tarte de merengue e limão e/ou a Panacota de café com leite condensado. Se ainda assim não sabe o que comer, vá pelas sugestões do chefe, melhor não pode ser!

A carta de vinhos é um must deste restaurante, vasta, rica e cheia de opções que fogem ao tradicional, mas principalmente variada de opções válidas para todos os pratos e, para nos ajudar, está um escanção residente que tem sempre uma sugestão interessante para nos brindar.

Quando o bom tempo chegar, a esplanada e o seu bar vão ser a direcção de muitas pessoas, pois a vista sobre o horizonte é até onde olhos nos permitem e a nossa imaginação nos leva.Este restaurante está debruçado sobre o mar, oferecendo aos seus visitantes um encanto sem igual. Vá, veja e volte!

Preço médio –25€

Serviço: 3, Decoração: 4, Menu: 3, Carta de Vinhos: 3+, Preço: 3

Nota Final (0-5) :3

sexta-feira, 27 de Março de 2009

Noite de Fados no Restaurante Casa Tua

Ver artigo sobre o restaurante em :

http://eusougourmet.blogspot.com/2009/02/restaurante-casa-tua.html


Hoje na no Restaurante Casa Tua na Quinta da Penha Longa vamos poder assistir à voz do Helder Moutinho, acompanhado à guitarra pelo Ricardo Parreira, na viola Marco Oliveira e Yami na viola baixo.



Um programa simpático para entrar no fim-de-semana!


Programa:

quinta-feira, 26 de Março de 2009

Pato ao Sal sobre Geleia de Cebola e Tomilho


Preparação: 4h30m, Cozedura: 2h00m, Médio, 4 Pessoas


Pato:
1 Pato médio normal
5 dentes de alho
4 Ramos de tomilho
3 Folhas de Louro
1 Limão
2 Laranjas
3kg de sal grosso
3 claras de ovo
Pimenta preta
Agulha grossa e linha
(Mel)

Geleia:
4 cebolas roxas
5 colheres de sopa de azeite
4 colheres de sopa de açúcar de cana
Agua, sal e pimenta qb.
(utilize sempre produtos frescos)


Pato:
Lava-se muito bem o pato e seca-se com um pano de cozinha – recheie com os dentes de alho, o tomilho e as flores de louro. Com uma agulha grossa e linha, cosem-se as aberturas para evitar que o sal entre.
Regue o pato com o sumo do limão e das laranjas, moa um pouco de pimenta e deixe descansar no frigorifico durante 4h.No fundo de um tabuleiro põe-se uma camada de sal e coloca-se o frango.
Bate-se levemente as claras, e mistura-se com o sal. Cubra o resto do pato com a mistura (não muito grossa, para o pato alourar).
Leva-se a assar em forno bem quente e Quando a crosta estiver dourada o pato está pronto.
(Sugestão: pincele a pele do pato com mel e leve mais 3m ao forno no máximo)


Geleia:
Num tacho adicione o azeite, as cebolas picadas e o açúcar e 5 colheres de sopa de água (tempere com sal e pimenta se sentir necessidade). Deixe cozinhar até ficar espesso e obter uma geleia.


Num prato com fundo branco, deite com uma colher de sopa uma quantidade aceitável da geleia no centro do prato, corte uma perna/peito do pato e ponha por cima, e decore com tomilho e rosmaninho e acompanhe com um puré.


(A fotografia é apenas uma sugestão de arranjo).


Boa sorte e bom gourmet


quarta-feira, 25 de Março de 2009

Pataniscas de Bacalhau


Preparação: 30m, Cozedura: 15m, Fritura:5m, Fácil, 4 Pessoas

Ingredientes:
1 Posta de bacalhau grande (+/-600gr)
1 Molho de Salsa
1 Cebola
1 Pimento Verde
3 ovos
2 dentes de alho
160gr de farinha de trigo
2dl de vinho branco seco
Óleo de amendoim
Azeite virgem, sal e pimenta
(utilize sempre produtos frescos)


Deixe o bacalhau de molho na véspera, e troque a água 3 ou 4 vezes.Cozinhe o bacalhau em água em lume forte, deixando ferver por 10 minutos. Escorra e desfie em lascas, sem pele e espinhas - reserve.

Num recipiente grande, misture a farinha com 1 colher de sopa de azeite, o sal e a pimenta.Junte os ovos, e mexa bem. Junte o vinho branco e volte a mexer até ficar tudo ligado. Adicione o bacalhau, a cebola (picada), o alho (picado), a salsa (+/- 2 colheres de sopa e picada) e uma tira de pimento picado.

Numa fritadeira junte o óleo e um pouco de azeite, deixe aquecer e quando estiver pronto para fritas, deite várias colheres de sopa ou maiores para a mistura e deixe fritar, e depois de retirar escorra-as.

Sirva com arroz de feijão e uma salada (A fotografia é apenas uma sugestão de arranjo).

Boa sorte e bom gourmet

domingo, 22 de Março de 2009

Pastel de Nata

(Parece impossível ainda não ter publicado esta receita)

Para a massa folhada:
300gr de farinha de trigo
250gr margarina para folhados
Sal e água.

Misture a farinha de trigo, o sal e a água e vá amassando até ligar. Divida a margarina em 3 doses iguais.
Estenda a massa numa tábua ou pedra, e junte /3 da margarina. Enrole como um tapete (rocambole) e repita esta operação até acabar a margarina, e no final deixe descansar 20 minutos. Corte a massa em quadrados de 2 cm de espessura, e coloque cada quadrado dentro de uma forma lisa (do tamanho dos pasteis de nata) - unte os dedos com água e espalhe a massa dentro da forma.

(Duas hipóteses muito consagradas)
MESTRE JOÃO RIBEIRO:
1 lt leite
50g de farinha
1 lt calda de açúcar a 30º
12 gemas de ovos.
Liga-se a farinha com o leite e vai a cozer; deixa-se ferver muito baixinho 2 a 3 minutos, e mistura-se o açúcar. Quando estiver morno adicionam-se as gemas.

OLLEBOMA:
Misturam-se 5dl de nata fresca não batida, 8 a 10 gemas de ovos e 150g de açúcar branco.
Leva-se ao lume até levantar fervura, mexendo sempre e, em estando morno, aplica-se.

Leve os pastéis ao forno (pré-aquecido e no máximo, o ideal é passar os 380ºC) e retire quando estiverem ao seu gosto (tostados, claros, cada pessoa uma opção diferente!).

Junte açúcar e canela a gosto e está pronto a comer!

Boa sorte e bom gourmet

sexta-feira, 20 de Março de 2009

Panna Cotta com Molho de Damasco e Praliné


Porque um pedido é um pedido e deve ser sempre atendido, aqui vai!


Preparação: 2h30, Cozedura: 45m, Médio, 6-10 Pessoas

Pudim:
500ml de natas gordas (natas para bater)
1,65lt de leite gordo
25gr de gelatina sem aroma (16 folhas ou 4 colheres de sopa)
225gr de açúcar fino (atenção tem de ser muito fino)
1 limão
Extracto de Baunilha
Hortelã (1 ramo por prato)
Physalis (1 por prato)

Molho:
220gr de damascos secos
2 colheres de sopa de açúcar fino (atenção tem de ser muito fino)
750ml de água

Praliné:
200gr de amêndoas ou nozes, peladas e ligeiramente torradas
200gr de açúcar
(utilize sempre produtos frescos)

PUDIM: Junte as natas, 1,4lt leite e a casca do limão num tacho em lume médio até levantar a fervura, e depois reserve. Tape o tacho e deixe descansar +/- 1 hora.


Num recipiente depois o restante leite (250ml) e a gelatina até esta se dissolver.
Leve novamente o tacho com as natas, leite e casca de limão ao lume até ferver e depois reserve novamente.


No recipiente com gelatina, junte o açúcar e uma colher de sopa do extracto de baunilha (essência) e bata tudo até ficar um molho uniforme e despeje tudo sobre o tacho (com as natas e o leite) e volte a mexer tudo muito bem até ligar.


Filtre a mistura para as formas (grandes 6-8 / pequenas 10-12) e coloque no frigorífico pelo menos durante 3 horas.


MOLHO: Num tacho com 750ml de água junte dos damascos e deixe ferver em lume brando durante 30 minutos (a agua vai reduzir bastante, para menos de metade).


Passe tudo pelo passe vite duas vezes, (ou então leve ao picador, ou mesmo com uma batedeira – garanta é que fica um molho fino), o e adicione o açúcar e bata lentamente até ficar uma mistura uniforme e sem grumos.


PRALINÉ: Numa frigideira ou num tacho anti-aderente derreta o açúcar em lume brando até ficar líquido. Acrescente as amêndoas (sem desligar o lume) e deixe alourar até ficar cor de caramelo claro.


Despeje de imediato sobre uma pedra mármore untada e, depois de arrefecer, parta aos bocados e leve a um picador e pique até ao tamanho que mais gosta.


PARA SERVIR: Mergulhe as formas com os pudins brevemente em água quente (atenção não é a escaldar), e depois coloque o pudim no centro de um prato claro.


Com uma colher de sopa despeja duas a três doses em redor de toda a periferia do pudim. Com uma colher de chá despeje de forma decorativa e uniforme o praliné, no pudim (pouco), e prato.


Enfeite com as folhas de hortelã e a physalis com o fruto à vista e sem arrancar as folhas. (com framboesas ou morangos também fica bem - a fotografia é só exemplificativa de uma das apresentações possíveis)


Boa sorte e bom gourmet

Restaurante Foral da Vila


Avenida D. Carlos I, 48 – Cascais
Telefone: 214840258

Foral da Vila para os visitantes e o Foral para os amigos, é assim que é conhecido! Aqui está uma casa que desmistificou um conceito: Cascais+Baía+vista para o mar = peixe ao sal ou escalado!

O Foral tem muito mais do que isso, o seu chefe David Igrejas traz a criatividade e a surpresa à mesa, o Zé Maria Trocado ajuda-nos a escolher o prato ou a bebida, e Pedro Igrejas fica mais no après-dîner quando o restaurante se transforma em bar.

A decoração está a cargo da Mariana Santos Lima, baseada nos anos setenta, com cadeiras todas diferentes, pinturas sóbrias e quadros de diferentes artistas (tem uma rotatividade trimestral).

Para quem vai ou está em Cascais tem aqui um espaço que alia múltiplas vantagens para a sua escolha: está à distância de alguns passos do centro (a 50m da Câmara Municipal); é um restaurante descontraído recomendado para qualquer idade; a cozinha é criativa, diferente, sem ser presunçosa. É restaurante mas passa a bar, conferindo-lhe o estilo cool e moderno que procuramos numa saída à noite.

A sua visita obriga-o a reservar um espaço no estômago para provar a Terrina de Foie Gras com redução de vinho do porto e o lombo de atum com crosta de sésamo acompanhado de puré wasabi, legumes salteados e molho de ostras - uma verdadeira iguaria, com um equilíbrio desconcertante e fascinante.

A carta de vinhos a copo é boa, respondendo às necessidades dos mais exigentes, e a relação preço qualidade é um ponto positivo.

Destaco a vista para a baía que é mesmo de perder o olho. Quem lá vai não pode perder o fim de tarde, pois a experiência tem de ficar gravada na sua máquina fotográfica, só assim os seus amigos acreditarão.

Preço médio – 20€/25€


Serviço: 3, Decoração: 4, Menu: 3, Carta de Vinhos: 3, Preço: 3


Nota Final (0-5) : 3

terça-feira, 17 de Março de 2009

Universidade Extremadura e Instituto Camões convidam a Confraria do Pastel de Nata para a semana da Cultura Portuguesa.


16-20 MARÇO

Menina dos Cravos", Amadeo de Souza-Cardoso, 1913

16 MARÇO

18h00 - Faculdade de Filosofia e Letras
Inauguração da exposição “José Saramago, uma vida em Portugal”

20h00- Palacio de la Isla
Conferência “Os passos do Realismo Urbano”, Miguel Real


17 MARÇO


10h00- Faculdade de Filosofia e Letras
“Seminário sobre a saudade”, Miguel Real

17h00- E.O.I. de Cáceres
“Seminário sobre a saudade”, Miguel Real

20h00- E.O.I. de Cáceres
Sala Multiusos- Projecção do documentário
“Lusofonia, a Revolução”



18 MARÇO

19h00- E.O.I. de Badajoz
“Mostra gastronómica: O pastel de nata”,
Vicente Themudo de Castro, Confraria do Pastel de Nata.


20h00- Filmoteca de Cáceres-
Conferência: “Dormir y despertar: maneras de ver cine português”,
Francisco Jiménez Calderón


19 MARÇO

10h00- Faculdade de Turismo de Cáceres-
Projecção do DVD “Turismo em Portugal”
À conversa com Miguel Antunes- Um guia português

18h00- E.O.I. de Cáceres-
“Mostra gastronómica: O pastel de nata”
Vicente Themudo de Castro, Confraria do Pastel de Nata.



ORGANIZA




APOIO

domingo, 15 de Março de 2009

Ovos cozidos com cobertura de salsa e manjericão


Preparação: 15m, Cozedura: 15m, Fácil, 6 Pessoas


Ingredientes:
12 ovos cozidos
1 ramo de folhas de manjericão (+/-10 folhas)
1 ramo de salsa
2 colheres de sopa de alcaparras
100gr de azeitonas verdes
125gr de queijo parmesão
60gr de miolo de pão
5 colheres de sopa de azeite
200ml de vinho branco (seco)
Sal e pimenta
(utilize sempre produtos frescos)

Para começar corte os ovos em metades.

Numa tigela junte o manjerico picado, a salsa picada, as alcaparras picadas e as azeitonas sem caroço e também picadas, misture tudo muito bem.

De uma forma progressiva vá juntando o miolo do pão e o queijo ralado no momento, e continue a misturar tudo muito bem.

Agora e para ligar todos os ingredientes junte o vinho, e misture.

Moa um pouco de pimenta e junte aos poucos o azeite, até a mistura engrossar e ligar.

Numa travessa grande disponha os ovos com as gemas viradas para cima e despeje a mistura por cima, decore a travessa com a salsa e manjericão e sirva fresco. (Uma sugestão junte uma tapenade de azeitona, azeite e limão depois dos ovos já estarem na travessa)

Boa sorte e bom gourmet

sexta-feira, 13 de Março de 2009

Bacalhau Grelhado com Grelos Salteados e Batatas a Murro

Receita do Chefe José Serrano - Vai fazer o meu jantar (e de quem quiser aparecer) - http://www.thepersonalchef.pt/
Preparação: 25m, Cozedura: 40m, Fácil, 4 Pessoas

Ingredientes:
4 Postas de Bacalhau pré-demolhadas
16 Batatas pequenas
300gr de grelos arranjados e pré-cozidos
4 dentes de alho laminados
Azeite, Sal, Pimenta e Louro
(utilize sempre produtos frescos)

Lava-se a batata e coloca-se num tabuleiro com sal grosso a assar a 160º durante 30m. Num outro tabueiro coloca-se as 4 postas de bacalhau com muito azeite e o alho laminado e leva-se a assar a 160º durante 15m.

Salteiam-se os grelos com um dente de alho esmagado e uma folha de louro e tempere com sal e pimenta.
Retira-se o tabuleiro do bacalhau e o tabuleiro das batatas do forno (retira-se o excesso de sal das batatas e aperta ligeiramente para dar o efeito do murro).
Rega-se as batatas com o azeite que está no tabueiro do bacalhau e emprata-se uma cama de grelos, de seguida as batatas, e por fim o bacalhau rega-se com o azeite de alho.

Boa sorte e bom gourmet

quinta-feira, 12 de Março de 2009

Batata-doce assada e frita, recheada com Queijo de Cabra Mel e Alecrim

Hoje receita do Chefe José Serrano - Amanhã vai fazer o meu jantar (e de quem quiser aparecer) - http://www.thepersonalchef.pt/

Preparação: 20m, Cozedura: 20m, Fácil, 4 Pessoas

Ingredientes:
400gr Batata Doce
1 Queijo de cabra
Mel q.b.
60gr Bacon
Manteiga q.b.
Sal, Pimenta e Alecrim
(utilize sempre produtos frescos)

Coze-se a batata-doce e esmaga-se.

Salteia-se o bacon na manteiga junta-se o mel e a batata doce esmagada.

Enforma-se num aro e coloca-se o queijo por cima retira-se o aro e coloca-se duas fatias de bacon envolta.

Leva-se ao forno a 200 graus por alguns minutos para gratinar emprata-se e serve-se com uma salada a acompanhar.

Boa sorte e bom gourmet

Jantar da Confraria do Pastel de Nata


(Partilha do convite feito pela confraria do Pastel de Nata)


A Confraria do Pastel de Nata, o Hotel Inglaterra e o Chefe José Serrano, convidam a participar neste grande jantar no próximo dia 13 de Março no Estoril.

A ementa é:
Trouxa de queijo de cabra acompanhada de pêra rocha cozida em erva príncipe e folha de carvalho.

Lombinho de Porco preto com geleia de pimentos acompanhado de polenta de amêijoas e legumes assados.
Bolo de canela, o arroz doce simplesmente para beber acompanhados de morangos salteados.

Inclui bebidas (Vinhos/cervejas/refrigerantes e águas).

Valor 40€ por pessoa(as mesas são 2,4,6,8 ou 10 - para reservas de grupo ligar directamente para o hotel).


A seguir ao jantar estão todos convidados para a festa dos discos antigos na discoteca Van Gogo (o nome dos participantes foi incluido na guest list).

Para confirmar a sua reserva deve ligar para o 214684461 ou enviar um email para luzpintobasto@hotelinglaterra.com.pt.

Qualquer dúvida ligar para 21 468 44 61


Filetes de Robalo com Arroz Malandro

Hoje receita do Chefe José Serrano - Amanhã vai fazer o meu jantar (e de quem quiser aparecer) - http://www.thepersonalchef.pt/

Preparação: 20m, Cozedura: 40m, Médio, 4 Pessoas

Ingredientes:
Robalo arranjado (só os filetes s/ pele)
Farinha de tempura q.b.
1 Cebola (picada)
2 dentes de alho (picado)
2 dentes de alho (laminados finamente)
1 limão (sumo)
1l óleo
Arroz carolino
4 tomates (sem grainhas e cortados aos cubos)
1 ramo pequeno de coentros (picados)
Manteiga q.b.
Pimenta e Sal
Azeite
(utilize sempre produtos frescos)

Marine os filetes do robalo com sal, pimenta, sumo de limão alho laminado e azeite.

Junte água à farinha de tempura de modo a que a mesma fique com a textura de uma polme.

Liga-se a fritadeira a 160ºg, passa-se o peixe-galo pela tempura e frita-se.

Num tacho refoga-se o alho (picado) e a cebola (picada), junte o arroz e frite. Vá adicionando o caldo de tomate e deixa-se cozer o arroz em lume brando, quando o arroz estiver quase cozido junte os tomate em cubos, e uma noz de manteiga - deixe ligar.

!Atenção que é um arroz malandro portanto não deve ficar seco.!

Antes de servir misture os coentros picados.

Boa sorte e bom gourmet

quarta-feira, 11 de Março de 2009

Restaurante Entraguas


http://www.wonderfulland.com/wonder2006/eat/entraguas/indexhouse.htm
Estrada do Guincho, 275 - Cascais
Telefone: 214843258 / 968093159

Quando estou em Cascais e penso em romance, boa comida e requinte, penso entreáguas!

Foram muitas as pessoas que escolheram esta casa para o “pedido”, Maria Ana Pinto confessa que as declarações imperam por aqui!

Se a nossa experiência for ao almoço, podemos usufruir de uma vista para o atlântico seja dentro da sala ou na explanada, mas é quando o sol se põe que o romance ilumina a sala. A esta hora começamos a ver os tons de laranja a crescer, os candeeiros roxos e amarelos e os candelabros cheios de velas que criam a luminosidade perfeita para os sonhadores.

O ambiente é apenas meia casa, porque a conquista ao freguês alarga-se à cozinha onde podemos degustar a Sapateira fria recheada, mexilhões à belga como entradas - uma fresca e outra quente, os Crepes de Lagosta, O peixe sempre fresco ao Sal e a Paelha são opções válidas para prato principal. Mas se gosta de doces, renda-se ao cheesecake com molho de framboesa ou aos profiteroles de chocolate.

A carta de vinhos é extensa, com preços equilibrados, oferendo um vasto leque de opções: do mais contido ao maior gastador, todos têm uma solução.

A sedução desta casa vai para além do que oferece, é um espírito instituído à nossa chegada.

Preço médio – 25€

Serviço: 3, Decoração: 4, Menu: 4, Carta de Vinhos: 4, Preço: 3

Nota Final (0-5) : 3,5

Restaurante Alecrim às Flores

http://alecrimasflores.com/
Travessa do Alecrim 4 - Lisboa
Telefone: 21 322 53 68 / 91 251 91 19

Quando entrei no Alecrim, pedi a algumas pessoas adjectivos que definissem a casa, mas fosse o que fosse que dissessem eu só ouvia: Estética, classe e charme!

Ao descer as escadinhas da Travessa do Alecrim, e ao ver uma esplanada tão bem organizada, temos o prenúncio de que o melhor ainda está para vir. Mas, no meu imaginário, via uma garrafa de vinho branco muito fresca, uma noite de verão e os meus melhores amigos ao lado.

Ao passar a porta de vidro, fico deslumbrado com o pé direito e os arcos de tijoleira. A traça pombalina é característica desta zona e o facto de estar tão bem enquadrada na decoração, só demonstra o cuidado arquitectónico dado ao projecto.

Sentado nas elegantes e altas cadeiras do bar a beber um copo, anseio pela descida (literal pois há um pequeno lanço de escadas) à sala de jantar e início da degustação.

O Alecrim tem uma aura que não sei bem explicar. Sempre que lá vou é uma experiência nova e sinto que consigo descontrair. Os guardanapos de linho, os elegantes copos de vidro, o serviço de mesa, o largo e espaçoso tampo da mesa, são um conjunto de "luxos" que nos fazem sentir acarinhados sem criar pretensiosismo, e o facto de o tecto estar lá tão alto introduz uma acústica singular, fazendo mesmo esquecer que poderão haver mais pessoas nas outras mesas.

Comecei pelo carpaccio de bacalhau - cortado com destreza é um sinal de que o chefe Bruno Alves gosta do pormenor; as costeletas de borrego com risotto de abóbora ganharam um fã (o risotto de abóbora é tão bem confeccionado que pode fazer companhia a qualquer prato); e terminei com o gelado Eusébio (petit gateau) que certamente vai ser a delícia dos mais gulosos.

Em suma, o Restaurante Alecrim às Flores é um local onde não vamos apenas pela boa comida, vamos porque é uma casa sofisticada, moderna, acolhedora, e onde podemos viver uma experiência que certamente não iremos esquecer.

Preço médio – 28€

Serviço: 4, Decoração: 5, Menu: 4, Carta de Vinhos: 3, Preço: 3
Nota Final (0-5) : 3+ / Bom

terça-feira, 10 de Março de 2009

Bolinhos de vieiras com crosta de sésamo e molho de endívias e açafrão

Preparação: 40m, Cozedura: 15m, Difícil, 4 Pessoas

Ingredientes:
20 Vieiras soltas e limpas (podem ser Erquy ou da Tasmânia)
6 Endívias
4 Chalotas
1 Limão
100gr de sementes de sésamo
50gr de manteiga s/ sal
Açucar
70ml de azeite de acidez baixa <= 5 150ml de natas 800ml de vinho branco seco Fios de açafrão Sal e pimenta (utilize sempre produtos frescos) Comece por cortar as endívias em tiras finas e meta dentro dum tacho, junte 50gr de manteiga, 1 colher de café rasa de açúcar, uma pitada de sal e pimenta (a gosto), o sumo de meio limão espremido no momento e deixe cozer durante 5 minutos – vá mexendo tudo até os ingredientes ficarem todos ligados. Retire os sacos de coral encarnados às vieiras, triture com um garfo e tempere com sal e pimenta – faça uns bolos (4) rasos com uma forma sem fundo (+/- 10 cm), espalme com o garfo e polvilhe o sésamo no topo. Num tacho adicione o vinho branco, as chalotas picadas, as natas e umas 8/10 tiras de açafrão, leve ao lume e deixe apurar, temperar e depois reserve. Numa frigideira já aquecida adicione o azeite, coloque os bolinhos de vieiras com o topo de sésamo para baixo e deixe alourar sem queimar e lentamente durante 4 minutos, volte os bolos e deixe mais 3 minutos. Coloque as endívias no meio do prato, o bolinho no centro com as sementes para cima, e regue com o molho à volta – enfeite o prato com alguns fios de açafrão. Caso tenha dúvidas estarei pronto para o ajudar (gourmet@live.com.pt) - a fotografia é de uma vieira acabada de abrir. Boa sorte e bom gourmet

segunda-feira, 9 de Março de 2009

Restaurante Sommer

www.sommer.pt
Rua da Moeda, 1-K - Lisboa
Telefone: 213905558 / 910785558

Quem não acredita na ambição nunca terá sucesso, quem não acredita na glória nunca terá reputação… a Sara e o Pedro acreditaram e o efeito é: Restaurante Sommer!

Ao entrar neste espaço somos confrontados com dezenas de pormenores e detalhes arquitectónicos e decorativos que só favorecem a nossa visita: o grande balcão do bar em texturas, o alto e robusto armário de bebidas, o vidro que protege um varão com as várias garrafas de vinho, criando um efeito estético sublime.

O armário baixo na entrada, com as letras Sommer suspensas, cria um efeito único dando a ilusão de parede, separando assim a sala de jantar do bar. O Sommer é um local onde podemos parar para beber um dos trinta cocktails que este restaurante tem para oferecer. (5€)

Ao entrar na zona de refeições ficamos impressionados com as diversas ilusões criadas pelos vários elementos decorativos – os candeeiros suspensos sobre a enorme pestana de madeira.

Sentei-me à mesa para provar tudo o que tinha direito, mas rapidamente descobri que o menu de almoço é diferente do jantar, vou ter que voltar. Comecei a degustação: Salada de Queijo Fresco, Chutney de Manga e Gengibre, Tomate Cherry e Molho de Yogurte; Risotto de Espargos, Queijo de Cabra Gratinado e Aroma de Limão; Peito de Frango recheado com Farinheira, Puré de Batata e Maçã; Créme Brulée à Sommer e Mousse de Chocolate, tudo equilibrado e harmonioso – o Pedro Sommer é um grande cozinheiro.

À noite Vieiras Salteadas sobre Puré de Batata-doce e Alface Acelga; Taco de Bacalhau meio curado sobre Esmagada de Batata, Tomate e Espargos
Verdes; Sommer Bitok, Bife do Lombo, Cogumelos, Ovo de Codorniz e Batata Frita; Tarte de Maçã com Gelado de Caramelo.

A carta de vinhos é boa, muito bem organizada e extremamente original. Podemos procurar o vinho pelo paladar sem ter que olhar para a região ou marca. Frutados e Aromáticos, Aromas Intensos e Complexos, Volumosos e Maduros são algumas das classificações que vamos encontrar.

O Sommer é um espaço diferente, moderno, bonito e com um cozinheiro ao nível do melhor que há no país.

Preço médio – Almoço: 10€ / Jantar: 25€/28€

Serviço: 3, Decoração: 5, Menu: 4, Carta de Vinhos: 4, Preço: 3
Nota Final (0-5) : 4

domingo, 8 de Março de 2009

Perdiz grelhada com risotto de ervilhas

Preparação: 60m, Cozedura: 25m, Médio, 4 Pessoas

Ingredientes:

4 Perdizes limpas (se forem descongeladas, deixe descongelar durante 4h antes das embrulhar no toucinho)
8 Fatias de toucinho
Folhas de louro frescas
Sumo de limão
Sal e Pimenta

Para o Risotto:
250gr de arroz italiano (Arborio)
2 beringelas médias
150gr de ervilhas (congeladas)
80gr de cebola roxa picada
150ml Vinho Barolo
+/- 200gr Manteiga s/ sal
+/- 200gr queijo parmesão (ralado no momento)
75gr Azeite extra virgem
Sal e pimenta
(utilize sempre produtos frescos)

Limpe as perdizes embrulhe nas fatias de toucinho e algumas folhas de louro, amarradas com um cordel e deixe a descansar durante 24h.

Corte as duas beringelas aos cubos, e deite-as para dentro de um tacho, junte 800ml de água, 30ml do Vinho Barolo, 40gr de cebola picada, sal e pimenta e deixe cozer durante 20m.
Junte as ervilhas sem descongelar e deixe cozer mais oito minutos.
Reserve o caldo num recipiente e as beringelas e ervilhas noutro.

Leve o arroz a alourar em azeite, juntamente com 40gr de cebola picada, sal e pimenta e deixe refogar.Regue o arroz com o vinho até evaporar. Deixe cozer durante +/- 18m juntando gradualmente uma concha do caldo das beringelas e ervilhas, e vá mexendo sempre (não deixe o arroz colar ou queimar – atenção a 100% a este detalhe). Assim que o arroz estiver quase no ponto (vá provando) junte as beringelas e ervilhas mexa tudo muito bem.

(Ao mesmo tempo que prepara o risotto) leve as perdizes a grelhar na brasa (ou caso não possa, num grelhador virando sempre os bichos de forma a não colar nem queimar), vá vaporizando com borrifadelas de azeite.
Retire as folhas de louro (deite fora) e o toucinho (corte em cubos), e parta a perdiz em quatro peças – dois peitos e duas asas.

Num prato fundo cubra com o risotto de beringelas e ervilhas. Junte um pouco de manteiga e parmesão (a gosto) para engrossar o molho e guarneça com as perdizes e toucinho cortado em cubos, decore o prato com salsa e tomilho fresco.

Boa sorte e bom gourmet

sábado, 7 de Março de 2009

Risotto com Boletos e Aroma de Trufas

Preparação: 30m, Cozedura: 45m, Fácil, 4 Pessoas

Para esta receita é preciso:

200gr de arroz italiano (Arborio)
300gr de boletos
2 beringelas médias
80gr de cebola roxa picada
30gr de trufas da Provença
50ml de sumo de trufas
Folhas de manjericão
Manteiga s/ Sal
Queijo parmesão (ralado no momento)
150ml Vinho Barolo
1 ramo de tomilho
Azeite extra virgem
Sal e pimento

(utilize sempre produtos frescos)

Corte as duas beringelas aos cubos, e deite-as para dentro de um tacho, junte 800ml de água, 30ml do Vinho Barolo, 40gr de cebola picada, 1 ramo de tomilho, sal e pimenta e deixe cozer durante 25m. Reserve o caldo num recipiente e as beringelas noutro.

Leve o arroz a alourar em azeite, juntamente com 40gr de cebola picada, sal e pimenta, adicione as trufas (cortadas em pequenos cubos sem esmagar) e deixe refogar.

Regue o arroz com o vinho até evaporar. Deixe cozer durante +/- 18m juntando gradualmente uma concha do caldo das beringelas, e vá mexendo sempre (não deixe o arroz colar ou queimar – atenção a 100% a este detalhe). Assim que o arroz estiver quase no ponto (vá provando) junte o suco das trufas.

(Ao mesmo tempo que prepara o risotto) Lave muito bem os boletos e corte em fatias uniformes, leve a alourar com azeite. Junte as folhas de manjericão, as beringelas (cozidas e reservadas) e frite em azeite com o lume muito forte, deixando alourar um pouco.

Num prato fundo cubra com o risotto e guarneça com os boletos, beringelas e as folhas de manjericão. Junte um pouco de manteiga e parmesão (a gosto) para engrossar o molho e está pronto a servir.

Atenção o risotto e os cogumelos devem estar prontos ao mesmo tempo, sendo essencial coordenar o final das duas confecções.

Boa sorte e bom gourmet

Restaurante Mercy Brasserie


http://www.mercybrasserie.com/
Rua da Misericórdia 78 – Lisboa
Telefone: 213479232

Faltam espaços como este em Lisboa, e a minha pergunta é: “Já conhece?”

Quando entramos ficamos logo fascinados com todos os detalhes arquitectónicos e decorativos: o balcão do bar, as mesas em linha com um sofá corrido, as persianas, o vidro ao fundo que esconde à primeira vista uma mezannine… bem, não quero estragar a vossa experiência, vão lá e vejam com os vossos olhos.

O estilo despretensioso, cool e cosmopolita não se fica apenas na decoração, sendo ainda mais visível na ementa e preços. Nada é deixado ao acaso, tudo está pensado na perspectiva de servir bem e a um bom preço e o resultado é simples, é “Mercy”.

Nesta Brasserie com a assinatura do Chefe Leonan Silva, podemos optar sem problemas no Menu Mercy Suave - uns folhadinhos de queijo cabra com doce de framboesa e um bife com ervas aromáticas é sempre uma aposta vencedora, mas tem mais quatro como opção. E se ainda assim estiver indeciso, pode escolher qualquer um dos pratos disponíveis e criar o seu menu Mercy personalizado.

Os vinhos para todos e a preços muito interessantes, e apesar de não serem muitos, representam grande parte do nosso país.

A grande surpresa está nas quintas-feiras à noite: o acabar a refeição com um café, digestivo e um trio de músicos que provocam os mais fascinantes arrepios de que senti nos últimos tempos.

Fui, vi e rendi-me! Parabéns à Mariana Salgueiro pelo excelente trabalho desenvolvido. São casas como esta que nos fazem renascer a vontade de ir ao Bairro Alto.

Preço médio – 16,5€

Serviço: 4, Decoração: 5, Menu: 4, Carta de Vinhos: 3, Preço: 5
Nota Final (0-5) : 4+

quinta-feira, 5 de Março de 2009

Restaurante Al Fresco

Rua de Lisboa 5 Galerias do Estoril, Loja 45 – Junto ao Casino Estoril
Telefone: 214 676 770

Espaço descontraído com uma decoração agradável, bom serviço…
Era assim que eu começaria a escrever se esta fosse um restaurante italiano convencional, mas quem lá vai dificilmente não repete, pois apenas uma ida não chega para provar tudo o que o Chefe Mario Russo tem para nos oferecer.

Aqui mora um Italiano que nos trás algo mais que cozinha transalpina, provarmos autenticidade e identidade de quem conhece bem a arte de bem servir e receber.

A ementa é extensa e faz as delícias de quem gosta de opções, mas é no quadro preto que passeia de mesa em mesa que conhecemos os pratos do dia e as mais recentes criações do chefe.

O espaço é grande com uma explanada que no verão é mais do que um local de paragem obrigatória, a sala é ampla e pode acolher grupos, mas a pseudo Mezaninne pode dar a um casal o romance que se procura nestes espaços.

Penso que já variei sobre a ementa toda, desde as entradas como o carpacio de carne ou de beringela, as pizzas, as pastas, os peixes, as carnes e claro o marisco!

Para quem vai pela primeira vez aconselho a começar por um carpacio de beringela, um ou dois pratos do dia e antes do café saborear um tiramisú, ou uma panacota – certamente não se vai arrepender.
Preço médio – 22€/25€

Serviço: 4, Decoração: 4, Menu: 5, Carta de Vinhos: 4, Preço: 3

Nota Final (0-5) : 4