domingo, 29 de Novembro de 2009

Espetadas de Morcela e Maçã

Fotografia Nicolas Lemonnier
http://www.lemonnierfoto.com/

Ingredientes:
Uma morcela
2 Maçãs Granny Smith

Preparação:
Cortes as morcelas em fatias de 1cm.
Corte as maçãs aos gomos.
Ponhas as fatias de morcela e de maçãs na chapa bem quente e aloure-as de ambos os lados.
Enfie alternadamente em espetos de madeira as fatias de morcela e as de maçã.

Sugestão de vinho:
Por António Coelho, Enólogo.


Monte Cascas Reserva Alentejo 2007
Vinho Regional Alentejano

Cor granada quase opaco. Aroma intenso de compota de frutos silvestres acompanhado de um elegante cacau. Na boca surge com bom volume acidez equilibrada e estrutura notável. Final muito rico a lembrar chocolate amargo.
Temperatura de serviço: 16-18ºC

Caso tenha dúvidas estarei pronto para o ajudar (gourmet@live.com.pt) - a fotografia é apenas uma sugestão de apresentação.

Boa sorte e bom gourmet

sábado, 28 de Novembro de 2009

Cebolas recheadas

Fotografia Nicolas Lemonnier
http://www.lemonnierfoto.com/

Ingredientes:
4 cebolas roxas
200gr carne picada
2 dentes de alho
100ge cogumelos
salsa
2 ovos
2 colheres de pão ralado
Sal e pimenta

Preparação:
Ligue o forno a 180ºC.
Corte uma tampa das cebolas, escave o interior e salpique com sal e pimenta.
Misture a carne picada com os cogumelos picados, os dentes de alho picados, os ovos, o pão ralado, uma colher de salsa picada, sal e pimenta e divida o composto para rechear as cebolas.
Cubra o fundo de um pyrex com água e ponha as cebolas e leve ao forno por cerca de 20 minutos.

Sugestão de vinho:
Por António Coelho, Enólogo.

Quinta de Saes Colheita Tinto
Dão DOC

Cor rubi com laivos violáceos. Aroma floral recheado de frutos silvestres e especiarias. Na boca apresenta acidez vincada ser ser agressiva. Bom corpo com taninos sedosos, num conjunto gastronómico. Final expressivo e com frescura.
Temperatura de serviço: 16-18ºC

Caso tenha dúvidas estarei pronto para o ajudar (gourmet@live.com.pt) - a fotografia é apenas uma sugestão de apresentação.

Boa sorte e bom gourmet

sexta-feira, 27 de Novembro de 2009

O Pastel de Nata é o melhor Embaixador de Portugal

Diário Noticias - Dois cafés e a conta - 2009.11.22
Reportagem Jorge Fiel
Fotografia Carlos Manuel Marques


O pastel de nata deve falar connosco. Pegue num, resista à tentação de dar logo uma dentada, vire-o, aproxime-o da orelha e aperte-o delicadamente com os dedos. Se ele ronronar um ligeiro crrec crrec está tirada a prova dos nove. Temos pastel de nata!

Esta foi uma das revelações feitas ao almoço por Vicente Themudo de Castro, 37 anos, um dos dois confrades honorários do Pastel de Nata, que andou 14 anos perdido no mundo das finanças até que, há dois anos, deu o seu grito do Ipiranga e dedicou-se à gastronomia (é crítico profissional e autor amador), a sua grande paixão desde os seis anos, idade em que em vez de jogar ao pião preferiu iniciar-se no segredo dos fios de ovos com o cozinheiro francês da tia bisavó.

A Pastelaria Cristal foi uma escolha óbvia, já que o seu pastel de nata foi eleito o melhor do mundo, na prova realizada em Abril, no Pavilhão de Portugal, por um júri constituído pelo advogado José António Sousa (o outro confrade honorário), o enólogo Domingos Soares Franco e os chefs Vítor Sobral e David Pasternack (nomeado o melhor chef de Nova Iorque), que redigiram notas de prova levando em conta seis critérios: frescura, qualidade da massa, teor de açúcar, cozedura, aspecto e sabor.

Apesar de relativamente acanhado (quatro mesas, oito cadeiras), a Cristal é muito concorrida por clientela habitual do bairro que se despacha ao balcão. Durante a semana vende, em média, 150 natas por dia. Mas ao fim de semana marcham 500 por dia e há fila. “Já vi dois Ferraris estacionados à porta ao mesmo tempo”, conta Herculano Marques, 65 anos, que depois de correr mundo a gerir marisqueiras (das quais a mais célebre foi a Napolitano, na ilha de Luanda), optou por, há 14 anos, mudar para o ramo da pastelaria e deitar âncora na Lapa.

Como vinha de uma prova de Barcas Velhas, tinha um lanche na Penha Longa e um jantar em Beja, Vicente não acabou o croquete e o esplêndido rissol de leitão, empurrados com uma Sagres, antes de se concentrar no pastel de nata.

“Desde que não se peça Coca Cola…” foi a resposta quando lhe perguntamos qual a bebida adequada para acompanhar a nata. “Como não é um pastel muito doce, harmoniza muito bem com um vinho generoso seco, um Moscatel, Madeira ou Porto rubi”, explica Vicente, acrescentando que a combinação mais usual é o café/nata, o invariável almoço do professor Marcelo quando estava ali ao lado a tentar gerir o PSD.

“O pastel de Belém é um pastel de nata com marca registada”. Uma frase chegou para arrumar este assunto melindroso, antes de detalhar as diferenças: “O folhado é mais amanteigado, mais à francesa do que este”, refere, enquanto pega na nata da Cristal e a vira-a ao contrário. “Está a ver? Não cai nada. Já não arriscaria fazer isto com um pastel de Belém que tem um creme muito mais líquido”. Por estas razões, a nata de Belém tem um prazo mais validade muitíssimo mais curto (duas/três horas) do que a generalidade das outras, que aguentam até ao dia seguinte.

A rede social The Star Tracker, que reúne mais de 20 mil quadros portugueses espalhados pelo mundo, foi a barriga onde se deu a gestação da Confraria. Nas conversas na rede, Vicente constatou que não é fácil por os portugueses de acordo. O Ronaldo nunca rende na Selecção e o vinho do Porto não seduz os abstémios. Apenas o pastel de nata reunia o consenso e gerava a unanimidade.”É o melhor embaixador de Portugal”, concluiu.

Um dia ao fim da tarde, na Versalhes, Vicente e José António Sousa comentavam como a nata se tornara o mais vigoroso símbolo internacional da portugalidade, quando decidiram fundar a confraria – uma estrutura leve, sem trajes nem presidentes, apenas confrades (263), dos quais dois honorários, que são os porta vozes – que decidiu proclamar o dia da sua fundação (1 de Julho) como o Dia Mundial do Pastel de Nata. E para o ano, para comemorar o seu 2º segundo aniversário, vai expedir, em aviões da TAP, meio milhão de natas para serem gratuitamente distribuídos nas empresas em que trabalham portugueses, em destinos tão variados como Nova Iorque, Londres, Rio de Janeiro, Luanda, Paris, Joanesburgo, Bruxelas, São Paulo, Luxemburgo ou Maputo.

Jorge Fiel

Esta matéria foi hoje publicada no Diário de Notícias (22.11.2009)

Menu
Pastelaria Cristal
R. Buenos Aires 25 A, Lisboa

2 rissóis de leitão… 2,60 euros
2 croquetes … 1,80
1 Sagres … 1,10
1 Super Bock… 1,10
1 Moscatel Favaios … 1,00
3 pastéis de nata … 2,70
2 cafés … 1,10

O senhor Marques não nos deixou pagar o almoço

Troia Design Hotel - Glamour na península e um bom restaurante

OJE - Lifestyle - 2009.11.27

Situado no meio da natureza da península de Tróia, fica a mais recente unidade hoteleira do Grupo Amorim Turismo: O Troia Design Hotel.

As primeiras palavras que me saem ao chegar ao hotel são: luxo, design e bom gosto.

Detentor de 5 estrelas, o edifício de 14 andares tem 61 quartos de luxo e 144 suites. As vistas variam entre o rio, o mar e a magnifica Serra da Arrábida.

Os quartos, todos eles com varanda, têm áreas entre os 42m2 dos Deluxe Room e os 298m2 da Grand Suite.

Os estúdios e suites estão todos equipados com kitchenettes desenhadas pela SMEG, e no caso das suites, ainda pode contar com uma confortável sala de jantar.

As peças de design são evidentes em todos os quartos, podendo, em detalhe, encontrar marcas como: Carl Hansen, Flos, Liv'ít, Driad, Vitra, entre outras.

O relaxante SPA Blue & Green estende-se por 1.200m2 no primeiro piso, e conta com 15 salas para todos os gostos e tratamentos. Desde as tradicionais massagens relaxantes, aos tratamentos de assinatura que são exclusivos da casa, alguns destes para serem aplicados em casais, são exemplos do que podemos encontrar na extensa lista de mais de 70 diferentes.

Subo dois andares e visito as piscinas, uma interior e duas exteriores.

Entro numa longa varanda em madeira corrida, repleta de espreguiçadeiras viradas para a serra da Arrábida. Este espaço, devidamente apoiado por um bar, é certamente um dos pontos de relaxe e descontracção desta unidade.

Aqui também há espaço para os mais pequenos. Junto à piscina exclusiva para este grupo etário está o Koala Kids Club, que é um espaço aberto a crianças dos 3 aos 12 anos, com actividades indoor e outdoor, onde o lema é diversão com qualidade e criatividade em segurança.

Além do Paprika Pool Bar esta unidade providencia dois restaurantes com estilos diferentes: a Brasserie Salinas e o Restaurante B&G.

A Brasserie, uma sala com 220 lugares, tem uma decoração simples, baseada no contraste de tons claros com uns mais escuros. Aqui é o local onde, além de podermos tomar o pequeno-almoço, podemos também organizar os almoços e jantares para grupos.

Um pouco mais requintado, o restaurante B&G alberga até 120 comensais que, além da vista para a marina e uma decoração muito Blue e Green, podemos assistir a uma exposição do artista Pedro Cabrita Reis.

A cozinha tem a assinatura do chef João Vieira e sua equipa, que providenciam uma cozinha regional alentejana contemporânea. Aconselho vivamente os leitores a provar os croquetes de touro.

Incluído dentro desta unidade está o centro de conferências, a apenas alguns passos do lobby do hotel. Este espaço tem capacidade para reunir cerca de 1.000 pessoas.

Com um salão de gala com 1.000m2, que recebe até 900 pessoas e que se pode dividir em quatro. Oito salas de reuniões, de 30m2 a 160m2, que podem receber de 2 até 60 pessoas.

Já está prevista a abertura para breve de um centro de espectáculos, com uma sala que poderá levar até 900 pessoas, onde a programação cultural já inclui os espectáculos de teatro, música e dança.

O Casino também é um projecto em carteira já iniciado e que deverá estar finalizado em 2011.

Os programas para empresas, as actividades para crianças, o SPA para relaxar, e a vista romântica, fazem desta unidade um destino ideal para todos os públicos.

Como chegar:
Se pretende ir de carro, o ideal é seguir pela A2 sair na saída 8 - Alcácer do Sal, em direcção a Grândola, e ao encontrar o desvio Comporta Tróia segue as placas até ao resort
Se não enjoa e pretende levar o carro então, apanhe o Ferry Porto de Setúbal e meia hora depois está no hotel. Mas se é mesmo para descontrair, deixe o carro no porto de Setúbal e siga viagem no catamaran e um quarto de hora depois faça o check-in.

Detalhes
Blue & Green Tróia Design Hotel
www.troiadesignhotel.com
Em frente à Marina de Tróia.
7570-789 Carvalhal - Grândola
Telf. Geral: (+351) 265 498 000
E-mail Geral: info@troiadesignhotel.com
E-mail Reservas: reservas@troiadesignhotel.com

Texto publicado originalmente no Lifestyle do diário OJE a 27 de Novembro de 2009

Sopa de Camarão

Fotografia Nicolas Lemonnier
http://www.lemonnierfoto.com/

Ingredientes:
1kg camarão
Uma courgette não muito grande
Uma cenoura
2 dentes de alho
Uma cebola
2 tomates maduros
1/2dl de azeite + uma colher
Sal e pimenta
Coentros picados

Preparação:
Ponha o azeite num tacho, leve ao lume juntamente com os legumes cortados aos cubos e deixe refogar um pouco.
Acrescente cerca de um litro de água a ferver e coza o tempo necessário para os legumes ficarem tenros.
Descasque os camarões em cru e coza as cascas num pouco de água a ferver com uma colher de azeite, passe-as pelo passevite e deite o liquido na sopa. Tempere com sal e pimenta e deixe apurar em lume brando durante alguns minutos.
Triture tudo com a varinha mágica.
Quase no fim junte os camarões descascados e continue a cozer por 3 a 4 minutos.
Sirva a sopa enfeitando os pratos com alguns camarões inteiros e os coentros picados.

Sugestão de vinho:
Por António Coelho, Enólogo.

Esporão Reserva Branco 2008
Alentejo DOC
Cor amarela cristalina. Aroma citrino intenso acompanhado de alguma baunilha. Na boca revela ligeira untuosidade com bom conjunto entre frescura e estrutura. Final persistente e limonado. Tudo em harmonia.
Temperatura de serviço: 10-12ºC

Caso tenha dúvidas estarei pronto para o ajudar (gourmet@live.com.pt) - a fotografia é apenas uma sugestão de apresentação.

Boa sorte e bom gourmet

quinta-feira, 26 de Novembro de 2009

Porto e Douro Wine Show e Lisboa Gourmet

VINHOS DO PORTO E DOC DOURO,GOURMET, CHEFES DE COZINHA E RESTAURANTES

Este sábado e domingo, 28 e 29 de Novembro, o Convento do Beato, em Lisboa, acolhe a quarta edição do Porto e Douro Wine Show e Lisboa Gourmet, evento organizado pelo Instituto dos Vinhos do Douro e Porto e Essência do Vinho.

Cerca de 70 expositores estarão presentes nesta iniciativa que também contará um programa paralelo de acções que inclui Provas Comentadas de Vinhos do Porto Vintage 2007 e DOC Douro orientadas por especialistas, sessões de Show Cooking com os chefes de cozinha João Antunes (restaurante Vin Rouge) e Rui Paula (D.O.C.), Harmonizações entre vinhos e gastronomia e um espaço de degustação gastronómica, com a presença dos restaurantes lisboetas Eleven e Quinta dos Frades.

Entre as 15h e as 21h, os visitantes poderão ainda apreciar Cocktails à base de Vinho do Porto, relacionar vinhos do Porto e café no lounge-bar Nespresso, conferir propostas de programas turísticos do Douro e contemplar as sempre admiráveis motos Harley Davidson.

PROVAS COMENTADAS
28 NOV SÁBADO
16h GRANDE PROVA VINHO DO PORTO VINTAGE 2007
Rui Falcão (Crítico de vinhos WINE – A Essência do Vinho)
Fernando Melo (Crítico de vinhos e gastronomia WINE – A Essência do Vinho
Bento Amaral (Chefe da Câmara de Provadores IVDP)

29 NOV DOMINGO
16h GRANDES TINTOS DO DOURO 2007 - Fernando Melo (Crítico de vinhos e gastronomia WINE – A Essência do Vinho)

SHOW COOKING
28 NOV SÁBADO
17h30 Show Cooking - Chefe Rui Paula (restaurante DOC)

29 NOV DOMINGO
17h30 Show Cooking - Chefe João Antunes (restaurante Vin Rouge)

HARMONIZAÇÕES
28 NOV SÁBADO
19h Harmonizações com vinhos do Douro - Chefe José Júlio Vintém (restaurante Tomba Lobos) e Bento Amaral (Chefe da Câmara de Provadores IVDP)

29 NOV DOMINGO
19h Harmonizações com Vinhos do Porto - Chefe Miguel Castro e Silva (restaurante De Castro Elias) e Manuel Moreira (Crítico de Vinhos WINE – A Essência do Vinho)

WINE TALK
28 NOV SÁBADO
17h Tipos de Vinho do Porto - Manuel Moreira (Crítico de vinhos WINE – A Essência do Vinho)
19h30 Brancos do Douro para o dia-a-dia - Fernando Melo (Crítico de vinhos WINE – A Essência do Vinho)

29 NOV Domingo
17h Vinho do Porto Rosé - Manuel Moreira (Crítico de vinhos WINE – A Essência do Vinho)
19h30 Vinhos para a ceia de Natal - Fernando Melo (Crítico de vinhos WINE – A Essência do Vinho)

RESTAURANTE SHOW
Restaurante Eleven (Chefe Joachim Koerper, 1 Estrela Michelin)
Quinta dos Frades (Chefes Chakall e Igor Martinho – Chefe Cozinheiro do Ano 2009)

Condições de Acesso Ingresso: 5€
Provas Comentadas: 10€
Show Cooking: 5€
Harmonizações: 10€

SITE OFICIAL www.portodourowineshow.com

segunda-feira, 23 de Novembro de 2009

Herdade da Malhadinha Nova: Imagem e perfil do novo mundo

OJE - Lifestyle - 2009.11.23

Fica em Albernoa, Beja, e é o exemplo perfeito de como rústico e modernidade podem andar de mãos dadas.

Foi um feliz acaso que me levou a visitar a Herdade da Malhadinha Nova, e assim conhecer um dos melhores projectos turísticos de Portugal. Começo por descrever o que eu intitulo de amor à primeira vista.

Depois de uma pequena viagem entre sobreiros, oliveiras e vinha, isolo-me o suficiente para achar que vou ter paz, e ao passar os muros da herdade, aproximo-me das primeiras casas.

"O Hotel é ainda mais à frente, no topo do vale", fui informado. Mais uns segundos na estrada para subir até ao que se apresenta uma típica casa rural alentejana.

Só precisei de mais um minuto para me aperceber que tudo o que eu idealizava num projecto de turismo, estava aqui presente.

Apenas 10 quartos (7 standard, 1 júnior suite e 2 suites) muito espaçosos e todos decorados magistralmente e de forma individual, onde o luxo é patente no conforto e detalhe.

A mobília dos quartos é toda comprada em antiquários, recuperada e pintada de uma forma rústica e visualmente interessante; as camas Dux que para mim são como cair numa nuvem e dormir no céu, o IPOD, as casas de banho Duravit Philippe Starck complementadas com produtos Bulgari... bem, poderia continuar a descrever detalhes, mas o resumo é: tudo passa despercebido e sem pretensão, mas tudo se enquadra na perfeição do projecto.

Saí do quarto em direcção à sala, onde a lareira estava a ser acesa - estava um pouco fresco na rua, e esta não só aquece a sala como a enche de romance.

Dei um look geral e gosto do que vejo: a fazer companhia à lareira há cadeiras do Charles & Ray Eames, um espantoso candeeiro que faz lembrar os holofotes de Hollywood, transformando a decoração repleta de pormenores de design, que no entanto é sóbria e despretensiosa. Num outro canto da sala avisto, por detrás de um balcão de bar, várias prateleiras onde os néctares produzidos estão todos em destaque, num reconhecido orgulho na produção da casa.

Não eram horas, nem a temperatura apelava ao mergulho, mas a piscina e o seu jardim são tão convidativos que não hesitei em mergulhar num dos maravilhosos puffs Fatboy espalhados pelo relvado.

A noite estava a cair e apresentava-se estrelada, a lua quase não se reconhecia, mas o cenário não poderia ser mais perfeito. Mais um par de horas e dirigi-me ao restaurante Gourmet.

Este é mesmo casa metade com a adega, relativamente perto das cavalariças, e mesmo ao lado da casa dos mentores deste projecto: a Família Soares.

O restaurante, dirigido pela mão do jovem e talentoso chef Vitor Claro, divide-se em duas salas, e em ambas a presença dos vinhos da Malhadinha e Peceguina é visível em todos os cantos e recantos - são muitas, mas discretamente tornam-se parte da decoração.

As mesas e seus atoalhados brancos, as cadeiras do Vincent Shepard e Vernon Panton, o serviço da Vista Alegre, talheres da Cutipol e copos da Riedel, eram o prenúncio de que a refeição iria ser ao mais alto nível.

Caros leitores, em três palavras descrevo a cozinha do chefe: Gastronomia regional contemporânea! E acrescento mais duas: clara e exemplar.

Um pequeno resumo da minha incursão gastronómica: Papada de porco preto com ovas de salmão com vinagrete e Malhadinha Branco; pezinhos em ravioli de queijo e coentros e o Rosé da Peceguina.

Entre vários pratos e vinhos degustados estava um belíssimo entrecosto de porco preto, couve rouxa e creme de aipo, servido com o Peceguina tinto 2008, que foi um dos meus preferidos.

Um facto importante e distintivo deste restaurante é que, além de se comer bem, bebe-se divinalmente duma carta em que só as marcas da casa são apresentadas aos clientes: Malhadinha e Peceguina!

Acordei com uma alma nova e preparado para mais algumas aventuras.

"Bom dia", disse o chef Vitor Claro, "O que pretendem para o pequeno-almoço?".

Mais um detalhe delicioso. Fico com a certeza que este projecto é o inverso de tudo o que vi até agora. É transformar uma empresa rentável, de sucesso e exemplar, num negócio de família e, principalmente, familiar.

Preparo-me para visitar a herdade, um serviço oferecido a todos os hóspedes, quando avisto ao longe dois cavaleiros num galope gracioso, sobre umas belas montadas.

Eram os irmãos Soares, que fazem questão, sempre que podem, de dar os bons dias a todos os hóspedes. Simpáticos e afáveis, explicam e apresentam o projecto com um orgulho e um brilho nos olhos, que só quem corre por gosto, pode ostentar.

"Vinha agora a confessar ao meu irmão Paulo: montar os nossos cavalos na nossa herdade, onde produzimos o nosso vinho, é um sonho tornado realidade", confessa João Soares.

Segue-se o passeio de Jeep pela herdade com o Francisco, um dos muitos jovens que integram a equipa deste projecto.

A média de idades do pessoal é abaixo dos 30 anos, sendo a formação um ponto imprescindível. Será esta a fórmula do sucesso?

A lista de serviços disponíveis para os hóspedes é tão variada e extensa, que podemos fazer um pouco de tudo: Visitar a adega, passear a pé, a cavalo ou de mota, fazer uma massagem ou tomar um banho de pétalas, ou dar um simples passeio de balão.

O aperto no coração começa a ser mais forte, aproxima-se a hora de partir, e não quero ir.

Assim de um feliz acaso ganham um cliente satisfeito, e conquistam um amigo.

A ADEGA
A Herdade da Malhadinha é um projecto iniciado em 1998, com a aquisição de 200ha de terra abandonada e sem tradição de vinha. Em 2000 iniciam a plantação de 20ha de vinha. Em 2003 constroem a adega e fazem a primeira vindima e uns anos depois iniciam a comercialização do vinho. Em 2006 planta, mais 7ha de vinha. As castas são variadas e viradas para o novo mundo: Antão Vaz, viognier, aragonês, alicante bouschet, trincadeira, syrah, touriga nacional e outras. Produzem 200.000 litros e já são uma referência nacional e internacional.

Para comentar este artigo ou sugerir temas contacte o autor por gourmet@live.com.pt.

Detalhes

Herdade da Malhadina Nova
Country House & SPA
7600-601 Albernoa- Beja - Portugal
Tel: +351 284 965 432
Adega Tel:+351 284 965 210
Restaurante Tel:+351 284 965 211
www.malhadinhanova.pt

Texto publicado originalmente no Lifestyle do diário OJE a 23 de Novembro de 2009

sábado, 21 de Novembro de 2009

Concurso Chefe Cozinheiro do Ano

Sintra, 20 Novembro de 2009

O Chef Igor Martinho venceu na noite de quinta-feira o Concurso Chefe Cozinheiro do Ano 2009, destinado a profissionais de cozinha residentes em Portugal há cinco anos.

O Chefe de Cozinha do restaurante Quinta dos Frades, em Lisboa, venceu o primeiro prémio com um estaladiço de requeijão com mel, manjericão e pinhões para a entrada, robalo crocante com compota de pêra e tomate, como prato de peixe, perdiz em duas maneiras com puré de castanhas, como prato de carne e pudim do Abade de Priscos com crocante de amêndoa como sobremesa.

O vencedor da 20.ª edição do Concurso Chefe Cozinheiro do Ano, recebeu, entre outros prémios, um estágio de um mês num dos mais prestigiados restaurantes do mundo - o Noma, em Copenhaga.

Fonte: Lusa

quarta-feira, 18 de Novembro de 2009

Crítica restaurante: Belvedere com vista para o Atlântico

OJE - Lifestyle - 2009.11.18

Integrado no luxuoso Grande Real Villa Itália Hotel & Spa, o Restaurante Belvedere nada teme ao seu anfitrião. Uma decoração austera, onde o encarnado das paredes combina de forma ardente com o azul e branco dos azulejos.

Era de noite, mas mesmo assim dava para ver a vista privilegiada e fantástica que este espaço tem sobre o vasto Atlântico. À mesa, os atoalhados brancos serviam de base aos elegantes pratos Vista Alegre e aos bem desenhados copos da Schott.

O simpático chefe de sala aproxima-se, senta-nos e oferece o aperitivo da praxe.
É apresentada uma carta e dada a opção de deixar a cargo do chefe: Degustação de cinco pratos €70, sete pratos €85 e três copos de vinho €25.

Optámos pela degustação de cinco pratos com vinho. Como couvert, um conjunto de pães variados, e duas gorduras vegetais para os acompanhar: Azeite de moura e manteiga da casa, feita com leite de cabra.

É servido o primeiro vinho: Quinta dos Carvalhais Encruzado 2007.

Iniciámos com uma surpresa do chef: Shot de abóbora e canela e um pastel de bacalhau com a sua espuma - não espanta, mas a ideia da canela e abóbora é fantástica.

Segue-se a Canja de bacalhau gados morua aromatizado com poejos e suas bochechas, sofrito de cebola e boletos, medalhão de caranguejo real. A canja era simplesmente divinal, e criava o efeito de retirar o excesso de doce da cebola e boletos. O bacalhau bem temperado era realçado pela canja.

Quanto ao Peito de codorniz lacado com Ruby, salada de rúcula e romã, pão de especiarias e amendoim, uvas e azeitonas pretas, esfera de Tawny, apesar de tudo estar bem apresentado e confeccionado, se não fosse o Encruzado a retirar o excesso de doce, seria muito difícil de comer.

Serve-se agora o Madrigal 2007 Viognier.

O Linguado suado e enrolado com pesto sobre puré de castanhas, Atum levemente braseado, crosta de pistachio verde e legumes grelhados, é uma ode às boas técnicas de cozinha em prol do paladar - aqui só posso dizer que comida e vinho estavam numa harmonia perfeita.

Passo do branco para o tinto e a escolha é o Dado, um bom exemplo do Douro e Dão a trabalhar em harmonia.

Termino antes das sobremesas com o rei da casa: Lombinho de porco preto de Vinhais fumado com zimbro, geleia tépida de pêra rocha, funcho caramelizado, migas de espinafres e pinhões tostados.

Este prato combina muito bem o ligeiro fumado que provoca uma sensação seca, com a acidez das migas de espinafres, que só é elevada quando o Dado rico em taninos cria uma explosão de bom gosto na boca.

Agora e para terminar, há a Real degustação de sobremesas: Delícia de chocolate, gelado de baunilha e crumble de maçã, seguidos por uma espuma de framboesa, sorbet de limão e frutos secos, e doce de leite-creme com gelatina de café.

É um espaço em que a assinatura do experiente chef Paulo Pinto é patente, criando num espaço lindo e único, uma cozinha de 5 estrelas e apetecível. Na minha opinião, o Restaurante Belvedere é um local a visitar e revisitar.

Para comentar este artigo ou sugerir temas contacte o autor por gourmet@live.com.pt.

Detalhes
Restaurante Belvedere - Grande Real Villa Itália Hotel & Spa
Rua Frei Nicolau de Oliveira, 100
2750-319 Cascais - Portugal
http://www.realhotelsgroup.com/
realvillaitalia@hoteisreal.com
+351 210 966 000
Horário: Almoço das 12h30 às 15h00, Jantar das 19h30 às 22h30
Preço Médio: 80,00 €
Tipo de Cozinha: Portuguesa e Mediterrânea de Autor
Cartões: MB, VISA, AMEX
Notas: Estacionamento com Vallet Parking.

Texto publicado originalmente no Lifestyle do diário OJE a 18 de Novembro de 2009

terça-feira, 17 de Novembro de 2009

O MEU MENU - Pelos Caminhos de Portugal

OJE - Lifestyle - 2009.11.17

Hoje a minha sugestão é um pouco mais ousada pois, ao invés de partilhar o restaurante moderno e requintado, conduzo-os para uma casa pequena, ainda assim sem ser modesta, onde a boa comida e o bom ambiente vão proporcionar, com certeza, um bom negócio.

Então vamos lá ao menu: Acepipes vegetarianos para duas pessoas (8,5€) ou Acepipes de carne para duas pessoas (8,5€); Caril de gambas Goênse (13,5€); Chicken Tikka - frango grelhado em cubos previamente marinados em especiarias e iogurtes (12,5€) Arroz cozido basmati (2,5€); Naan - pão feito no tandoor (1,75€); Kulfi - gelado de pistacho indiano com ou sem halva de cenoura (3,75).

Esta busca terminou no Restaurante Tamarind.

Se vão à procura de boa comida goesa ou indiana criativa, têm nesta casa mais um bom exemplo de como não precisamos de percorrer mais de 8000 quilómetros para encontrar estas iguarias.
A casa é pequena, com 30 lugares. Por isso a reserva é indispensável. Quanto à decoração, é simples e com cores fortes que pretendem transmitir a serenidade e os princípios milenares ayurvédicos.

O chef Hardev Singh Walia traz-nos na sua cozinha a criatividade aliada à segurança de quem sabe.

Se levar a sua cópia do OJE ou o recorte do artigo, receba como oferta a entrada ou sobremesa à escolha do cliente.

Para a sugestão fora da cidade, não saí muito de Lisboa para descobrir um dos melhores restaurantes de Portugal.

Recheio de sapateira (10€); Filetes de peixe-espada com arroz malandrinho (12€); Filetes de polvo com açorda de coentros (14€); Frango na púcara (12€); Migas com entrecosto (12€); Leite-creme (4€); Arroz doce (4€).

Estou no Restaurante Colares Velho!

É verdade, esta bicentenária mercearia continua a servir produtos da mais alta qualidade. 30 anos depois de abrir pela primeira vez como restaurante, muda de gerência, e nunca esteve melhor.

A Ângela e o Paulo apostaram forte numa decoração intimista, acolhedora e recheada de apontamentos deliciosos.

Todos os clientes são tratados da mesma forma, ou seja como amigos. Não há tratamento diferenciado, pois todos somos recebidos como verdadeiros reis.

Além da deliciosa cozinha que o Colares pratica, a carta de vinhos é tão rica e diversificada que não deve haver nada do que pretende que não esteja listado.

Outro apontamento excelente é, à tarde, serem uma casa de chá onde se comem uns scones verdadeiramente fantásticos.

Quando lá for não se esqueça de levar a sua cópia do OJE ou recorte deste artigo, e receba um miminho da casa.

E se não quiser voltar logo para casa recomendo passar o fim-de-semana no bonito Hotel Lawrence, um verdadeiro clássico de Sintra. Rua Consiglieri Pedroso 38-40 2710-550 Sintra, Tel: 219 105 500. www. lawrenceshotel.com.

Para comentar este artigo ou sugerir temas contacte o autor por gourmet@live. com.pt.

Entrada ou sobremesa à escolha do cliente
Restaurante Tamarind
Rua da Glória 43-45 - 1250-115 LISBOA
Tel. (+351) 213 466 080
Email: hwalia4@hotmail.com

Miminhos de Amêndoa
Restaurante Colares Velho
www.restaurantecolaresvelho.com
Largo Doutor Carlos França 1/4 Colares- 2705-192 Sintra
Tel. (+351) 219 292 727
Email: colaresvelho@telepac.pt

Texto publicado originalmente no Lifestyle do diário OJE a 17 de Novembro de 2009

segunda-feira, 16 de Novembro de 2009

A Festa de Babete



Jantar "A Festa de Babette" no Eleven no dia 25 de Novembro.
Este famoso restaurante de Lisboa vai recriar pela primeira vez em Portugal um dos jantares mais míticos da história da gastronomia.
Trufas, caviar, grandes vinhos de Champagne e Borgonha... a não perder...


Restaurante Eleven
http://www.restauranteleven.com/
Rua Marquês da Fronteira Jardim Amália Rodrigues – Lisboa
Telefone: 21 386 22 11

Concurso Nacional de Cartas de Vinhos

Restaurante Romando (Vila do Conde) apresenta “A Melhor Carta de Vinhos”

O Restaurante “Come”, de Alcabideche, foi o vencedor nas categorias de Melhor Carta Preço/Qualidade e Melhor Carta Vinho a Copo, tendo o Restaurante “Castas e Pratos”, da Régua (Douro), ganho na categoria de Melhor Carta de Vinhos Regional.

O Restaurante Romando, de Vila do Conde, foi o grande vencedor da edição de 2009 do Concurso Nacional de Cartas de Vinhos, uma iniciativa da Revista de Vinhos em parceria com a distribuidora PrimeDrinks, ao assegurar o primeiro lugar na categoria “A Melhor Carta de Vinhos”. O segundo lugar desta classificação para a melhor carta em termos absolutos foi alcançado pelo Buhle, do Porto, tendo o Restaurante Fortaleza do Guincho, de Cascais, conquistado a terceira posição.

Este concurso, recorde-se, visa escolher e premiar os restaurantes estabelecidos em Portugal que disponibilizam a melhor carta de vinhos aos seus clientes (classificação absoluta), distinguindo, também, algumas categorias específicas de cartas de vinhos, como a Melhor Carta de Vinhos Regional, a Melhor Carta Preço/Qualidade e a Melhor Carta Vinho a Copo, tendo os respectivos prémios sido entregues hoje, dia 16 de Novembro, numa cerimónia que decorreu no âmbito do Encontro com o Vinho/Encontro com os Sabores, um evento promovido pela Revista de Vinhos no Centro de Congressos da FIL, em Lisboa.

Ainda na categoria “A Melhor Carta de Vinhos, o júri decidiu atribuir dez menções honrosas aos seguintes restaurantes: Vila Joya (Albufeira); Nellitos (Almancil); Casa da Dízima (Paço d'Arcos); São Gabriel (Almancil); Amadeus (Almancil); Flor de Sal (Mirandela); Sem Dúvida (Lisboa); Cais da Estação (Sines); Casa Matos (Salreu) e Tasca do Joel (Peniche).

Na categoria de Melhor Carta de Vinhos Regional, que pretende distinguir um restaurante especializado em cozinha regional que tenha uma carta de referência no que se refere aos vinhos da região, o grande vencedor foi o Restaurante Castas e Pratos, da Régua (Douro), logo seguido do DOC, em Armamar (Douro), tem ficado na terceira posição, ex-equo, a Casa Arouquesa, em Viseu (Dão) e a Vintage House, no Pinhão (Vinho do Porto). Nesta categoria, as menções honrosas foram para A Escola, em Alcácer do Sal (Alentejo) e Castas do Convento, em Moção (Vinhos Verdes)

No que se refere à categoria Melhor Carta Preço/Qualidade, que pretende distinguir os restaurantes que tenham uma boa e diversificada carta e que apresente uma boa relação de preço face à qualidade dos vinhos disponíveis, a vitória foi para o Restaurante .Come, de Alcabideche, tendo a Casa Matos, de Salreu, alcançado a segunda posição.

Finalmente, na categoria Melhor Carta «vinho a copo», que distingue o restaurante com uma melhor e diversificada oferta de vinho a copo constante na sua carta de vinhos, a escolha do júri voltou a recair no .Come, de Alcabideche, seguido do Shis, no Porto, e da Tasca do Joel, em Peniche. As menções honrosas foram para a Casa Arouquesa, de Viseu, o restaurante Bocca, em Lisboa, e o A Ver Navios em Santa Catarina, em Lisboa.

Refira-se que a Revista de Vinhos e a PrimeDrinks realizam este concurso com o intuito de promover e aumentar a diversidade da oferta de vinhos de qualidade através da Restauração, incrementando a importância deste canal como mostruário da imensa diversidade dos vinhos portugueses, bem como o serviço e o consumo de vinho a copo de qualidade dentro da Restauração, como forma de adaptar o seu consumo às exigências de uma vida saudável e civicamente responsável.

Fonte: Lift Consulting

Uma bica para o chef Cordeiro

Receita do Chef Cordeiro publicada na Revista Golden Guide, edição de Outubro 2009.

“As pessoas acham que sou um pouco excêntrico pois bebo um café no início de uma refeição e dois no final. Apenas gosto”, ao ler esta declaração do Chef José Cordeiro, a GG lançou de imediato o desafio ao chef, de criar uma receite em que o café é o elemento principal.

A proposta foi logo aceite pelo Chef Cordeiro, que confessa que já faz tempo que pensava em desenvolver uma receita onde pudesse embelezar o mítico bife à café.

Assim alem do antes e do depois junta mais um café à sua lista, ou seja durante a refeição.

Criativo, aventureiro e sempre pronto para trabalhar, lançou-se de imediato à obra e juntamente com o seu braço direito o sub-chefe João Rodrigues, confeccionando uma bela peça de arte visual e gastronómica.

Chef Cordeiro:
José Fernando do Rêgo Cordeiro, nasceu em Angola, mas cedo veio para Portugal e identifica-se como transmontano de gema, chefe executivo do restaurante Feitoria no Hotel Altis Belém, foi galardoado em 2005 com uma estrela Michelin enquanto chef da Casa da Calçada em Amarante, “Chefe de Cozinha e Chefe de Sala de 2004”, pela Academia Postuguesa de Gastronomia, distinção que partilha com Adácio Ribeiro.

Para mais informações consulte o site http://www.altisbelemhotel.com/
Doca do Bom Sucesso - Lisboa
Telefone:. 210 400 207

Bife à Café

Ingredientes:
140gr Lombo Vitela (Vitelão Alentejana)
1 Cenoura Bébé
2 Espargos
1 Nabo Bébé
1 Milho Bébé
Funcho Bébé
Batata Ágria (para fritar)

1dl Caldo de carne
1dl Natas
1 Bica Nespresso
Sal e pimenta q.b.

Preparação:
Na mandolina chinesa, cria-se os fios da batata e frita-se a 180ºC
Os legumes arranjados, são bringidos (cozidos em água a ferver) de depois deixa-se arrefecer em água com gelo.
De seguida salteados em azeite, no caldo de carne (apenas uma colher rasa de sopa) e cebolinho.
Espuma da redução: Num tacho reduz-se o caldo de carne, as natas e café até 3/4 do total depois coloca-se o liquido dentro de um cifão até chegar aos 52ºC.
Num outro tacho, cora-se o vitelão (já temperado com sal e pimenta), e salteia-se em manteiga, alho e tomilho.
Deixe descansar e depois cortar o bife.
Termina o arranjo do prato com um pouco de trufa picada por cima da carne.

Codornizes com azeitonas

Fotografia Nicolas Lemonnier
http://www.lemonnierfoto.com/


Ingredientes:
4 Codornizes
50gr Linguiça
1/2dl Azeite
20gr Manteiga
4 Chalotas
4 Raminhos de tomilho
1dl Vinho branco
Azeitonas pretas
Sal e pimenta

Preparação:
Lave as codornizes. Tire a pele à linguica e corte em quatro bocados.
Introduza um bocado de linguiça em cada codorniz e ate as codornizes com os raminhos de tomilho.
Descasque as chalotas e corte-as ao meio. Derreta a manteiga num tacho juntamente com o azeite e refogue as chalotas.
Junte as codornizes, as azeitonas, tempere de sal e pimenta, deite o vinho e deixe estufar até ficarem tenras,

Sugestão de vinho:
Por António Coelho, Enólogo.


Monte Cascas Colheita Tinto 2007
Douro DOC

Cor granada intenso. Aroma expressivo de frutos do bosque acompanhado de especiarias e algum mato seco. Na boca mostra-se envolvente, taninos polidos com bom equilíbrio. Final rico e muito elegante. Vinho muito bem conseguido, com uma boa relacção qualidade/preço. Muito atrativo.
Temperatura de serviço: 16-18ºC

Caso tenha dúvidas estarei pronto para o ajudar (gourmet@live.com.pt) - a fotografia é apenas uma sugestão de apresentação.

Boa sorte e bom gourmet

quinta-feira, 12 de Novembro de 2009

10ª Edição do “Encontro com o Vinho / Encontro com os Sabores”

Maior prova de vinhos de sempre em Portugal à espera de milhares de visitantes

• Mais de 1500 vinhos e as melhores delicatessens em prova, de 13 a 16 de Novembro, no Centro de Congressos de Lisboa, na Junqueira, em Lisboa

• Concursos de vinhos e um interessante conjunto de provas especiais enriquecem um programa repleto de novidades

A Revista de Vinhos organiza, pelo 10º ano consecutivo, a maior prova de vinhos / encontro com os sabores dirigida ao grande público até hoje realizada em Portugal: o Encontro com o Vinho / Encontro com os Sabores. Este evento decorre de 13 a 16 de Novembro, no Centro de Congressos de Lisboa, na Junqueira.

Trata-se de uma prova única no seu género em Portugal, na qual mais de 350 produtores de vinhos, queijos, presuntos, enchidos e azeites, seleccionados pela Revista de Vinhos, apresentam os seus produtos aos consumidores e público interessado.

Tal como nas edições anteriores, os melhores vinhos e as delicatessens de países estrangeiros disponíveis no mercado português serão também objecto de livre degustação por todos os milhares de participantes esperados no evento. Mais de 1500 vinhos, de todas as regiões do país e também estrangeiros com distribuição em Portugal, estarão à disposição dos visitantes para prova.

Embora o público possa também comprar algumas garrafas e outros produtos regionais numa loja aberta dentro do recinto, o objectivo maior deste evento é mesmo a prova e a troca de impressões no local com os produtores.

Dia 13 de Novembro de 2009 – Sexta-feira

18h00 – Pav. 3 – Sala 3B - BAIRRADA - CLÁSSICOS E MODERNOS
Preço: € 30 - Uma Selecção de Luís Lopes

19h00 – Pav. 3 – Sala 3A - RESERVA ESPECIAL CASA FERREIRINHA
Preço: € 30 - Prova Vertical, dirigida pelo enólogo Luís Sottomayor

20h00 – Pav. 3 – Sala 3B - DONA MARIA – A HERANÇA DE JÚLIO BASTOS
Preço: €30 - Apresentação: Júlio Bastos
Vinhos em Prova: Quinta do Carmo Garrafeira 1986, Quinta do Carmo
Garrafeira 1987, Dona Maria Reserva tinto 2003, Dona Maria Reserva
tinto 2004, Dona Maria Reserva tinto 2005, Júlio B. Bastos,
Dona Maria rosé 2008, Dona Maria branco 2008, Dona Maria Amantis
branco 2008

Dia 14 de Novembro de 2009 - Sábado

15h00 – Pav. 3 – Sala 3A - VILLA MARIA: PERFUME DA NOVA ZELÂNDIA
Preço: €30 - Por Charlotte Read, European Manager de Villa Maria

16h00 – Pav. 3 – Sala 3B - QUINTA DE LA ROSA – UM TERROIR DURIENSE
Preço: € 30 - Pelo Enólogo Jorge Moreira
Prova Vertical de Vinhos DOC Douro e Vintage Porto dos anos:
1997, 1999, 2000, 2003, 2004, 2005, 2007

16h30 – Pav. 3 – Sala 3C - HARMONIAS COM VINHO DO PORTO
Preço: € 30 Prova do IVDP, com o Chefe Henrique Sá Pessoa e Engº Bento Amaral

17h30 – Pav. 3 – Sala 3A - OS VINHOS DA VIDA PETER SYMINGTON
Preço: € 30 - 45 ANOS DE GRANDES VINTAGE
Vinhos em Prova: Dow’s 1963, Warre’s 1966, Graham’s 1970,
Warre’s 1977, Dow’s 1980, Graham’s 1985, Quinta do Vesúvio 1994,
Dow’s 1997, Graham’s 2000, Graham’s 2007

18h30 – Pav 3 – Sala 3B - GRANDES BRANCOS DE PORTUGAL
Preço: € 30 - Uma Selecção de Luís Antunes
Vinhos em prova: Minho: Soalheiro Reserva 2007, Anselmo Mendes
2005, Quinta do Ameal Escolha 2004. Douro: Gouvyas Reserva 2004,
Redoma Reserva 2006, Conceito 2008. Dão: Paço dos Cunhas de Santar
Vinha do Contador 2008, Quinta dos Roques Encruzado 2008.
Bairrada: Quinta das Bágeiras 1994, Luís Pato Vinha Formal 2005.
Alentejo: Esporão Reserva 2008, Terrenus 2008

20h00 – Pav. 3 – Sala 3A - ALICANTE BOUSCHET – UMA PRESENÇA DE 100 ANOS NO ALENTEJO
Convite - Prova da CVR Alentejana, dirigida por Luís Lopes

Dia 15 de Novembro de 2009 - Domingo

15h00 – Pav. 3 – Sala 3A - GRANDES TINTOS DO SUL ALENTEJANO
Preço: € 30 - Selecção de João Paulo Martins

15h00 – Pav. 3 – Sala 3C - QUEIJOS DE AZEITÃO
Preço: € 30 - Harmonias com vinho

16h00 – Pav. 3 – Sala 3B - O MUNDO DA GLOBAL WINES: DÃO, DOURO, BAIRRADA
Preço: €30- ALENTEJO E BRASIL - Apresentação: Enólogo Carlos Lucas

17h30 – Pav 3 – Sala 3C - DOCES HARMONIAS: PÃO-DE-LÓ TRADICIONAL E VINHOS
Preço: € 30 - (Coberto de Vizela, Margaride, Arouca, Ovar e Alfeizerão) - Por Agostinho Peixoto

ENCONTRO COM O VINHO / ENCONTRO COM OS SABORES – 13 a 16 de Novembro 2009

Local: Centro de Congressos de Lisboa (Junqueira)
Horários:
13 de Novembro 2009 (6ª feira) – 18:00 / 22:00
14 e 15 de Novembro 2009 (Sábado e Domingo) – 14:00 / 20:00
16 de Novembro 2009 (2ª feira) – dia exclusivo para Profissionais – 11:00 / 18:00

Entrada: 10 euros
50% de desconto para assinantes da Revista de Vinhos, mediante apresentação do número de assinante
Entrada gratuita para crianças até aos 10 anos de idade

Bilhetes à venda no Centro de Congressos de Lisboa durante os dias do evento.

Fonte: Lift Consulting

quarta-feira, 11 de Novembro de 2009

Feijoada à Brasileira

Foram poucas as vezes que fui ao Brasil, muito abaixo daquelas que pensava e queria ir.

Mas das poucas vezes que lá estive fiquei fã das lindas praias, do radioso sol, das frescas caipirinhas e da mágnifica feijoada.

Assim que soube que o meu grande amigo Zeno vai fazer este piteu nos almoços de domingo no Estoril, não podia ficar calado.

Partilho agora com todos, este Domingo ao almoço temos Feijoada à Brasileira no Zeno Lounge do Estoril.

Contacto:
Praça José Teodoro dos Santos
Estoril, Portugal, 2765-237Phone:
Tel: 21 467 5599
Preço (s/ bebidas): €18,90

Berbigão com coentros

Fotografia Nicolas Lemonnier
http://www.lemonnierfoto.com/


Ingredientes:
2kg Berbigão depurado (muito bem lavados)
4 Dentes de alho
6 Tomates cereja
Um molho de coentros
Sal e pimenta
Azeite
Um limão

Preparação:
Aqueça um tacho grande com algumas colheres de azeite, os dentes de alho pisados e os tomates cortados ao meio.
Assim que estiver bem quente, deite o berbigão e saltei a fogo vivo sacudindo o tacho de vez em quando.
Tempere com sal e pimenta e quando os berbigões estiverem abertos salpique com os coentros picados, o sumo de limão e sirva.

Sugestão de vinho:
Por António Coelho, Enólogo.


Joaquim Costa Vargas - Antão Vaz 2008
Vinho Regional Alentejano

Cor amarela citrina. Aroma tropical intenso com algum fruto seco. Corpo médio, com agradavél estrutura acompanhada de acidez equilibrada, tudo num conjunto muito elegante. Possui um final longo e fresco a lembrar ananás.
Temperatura de serviço: 8-10ºC

Caso tenha dúvidas estarei pronto para o ajudar (gourmet@live.com.pt) - a fotografia é apenas uma sugestão de apresentação.

Boa sorte e bom gourmet

Eleven celebra o 5º Aniversário

Em Novembro, o Restaurante Eleven festeja o seu 5º aniversário, com a dinamização de uma série de iniciativas junto dos seus clientes e amigos.

Como presente de Natal antecipado, o Eleven oferece a todos os seus clientes uma redução de 11% nos jantares, durante o mês de Novembro.

Neste mês de celebração, as criações do Chef Joachim Koerper irão, ainda, estar presentes nos restaurantes do Grupo Lágrimas, em Coimbra e no Porto, com um menu especial propositadamente criado para marcar esta visita.

Para lhe despertar os sentidos e acordar o apetite, damos-lhe a conhecer o menu disponível no Restaurante Arcadas (Quinta das Lágrimas) e no Restaurante Boca do Lobo (Hotel Infante Sagres):

Terrina de raia da nossa costa ao estilo mediterrâneo
Creme de couve-flor com pataniscas de bacalhau aromatizadas com caril de Madras e amêndoas
Bochecha de porco preto com dois purés
Creme brûlée de maracujá com gelado de cacau

A comemoração do aniversário do Eleven funde-se à celebração do Natal, com a inauguração da maior Árvore de Natal do Mundo que volta a estar, este ano, no cimo do Parque Eduardo VII. Venha assistir ao “nascer” do Natal no coração de Lisboa, envolto numa ambiência única, onde poderá desfrutar da verdadeira cozinha de luz, que revela o que de melhor existe nos alimentos.

Restaurante Eleven
www.restauranteleven.com
Rua Marquês da Fronteira

Jardim Amália Rodrigues – Lisboa
Telefone: 21 386 22 11

Fonte: Mpublicrelations - www.mpublicrelations.pt

O MEU MENU - Pelos Caminhos de Portugal

OJE - Lifestyle - 2009.11.05

Em Fevereiro de 2008 abriu um restaurante em Lisboa que desde o primeiro dia até hoje nunca me deixou de surpreender.
E esta semana é a minha sugestão para a sua reunião gastronómica. E o que podemos comer?

Creme de Rúcula e Mizuna do Sudoeste Alentejano com Ceviche de Bacalhau Fresco e Rebentos de Couve Roxa (8€); O Bacalhau e a Azeitona - A Nossa Versão de Bacalhau à Brás (19€); O Borrego, as Cebolinhas e o Alperce - Lombo de Borrego "Donald Russel" Salteado e Envolto em Ervas Finas, Cebolinhas Confitadas, Chutney de Alperce e Crocantes de Batata (28€); Coulant de Chocolate Negro com Sorbet de Framboesa (10€).

Tudo isto pode-se degustar no restaurante Bocca em Lisboa.

É uma casa verdadeiramente cosmopolita, sofisticada e ao mesmo tempo descontraída. A responsabilidade da cozinha está a cargo do criativo chef Alexandre Silva, que não se escusa de comprar o melhor dos produtos para poder oferecer uma cozinha singular e atractiva.

O facto de terem acordado o estacionamento para os clientes com a garagem do outro lado é mais um factor que me leva a escolher este restaurante como um dos meus destinos gastronómicos de Lisboa.

Se levar a sua cópia do OJE ou o recorte do artigo, ao pedir um prato principal recebe a oferta de um copo de vinho, sugestão do escanção.

Para fugir ao quotidiano do dia-a-dia, e porque já era sexta-feira, fiz as malas, reuni a família, e fui na direcção do baixo Alentejo. Foram precisas pouco mais de duas horas para viajar de Lisboa a Beja, descarregar as malas e sentar-me na bela sala de jantar desta pousada.

Tradicional Açorda de Bacalhau, com lâminas de Pão Alentejano (13€); Lagueirada de Polvo, com Batata a Murro, Alho e Tomate Assado (21,9€); Secretos de Porco Preto sob Migas de Espargos e Puré de maçã (18€); Buffet de frutas, doces regionais e conventuais (8€)

Estou na Pousada de Beja, antigas instalações do convento de S. Francisco, que é simplesmente fantástica.

O luxo da arquitectura, a comodidade nos quartos, o alto serviço disponível e a altíssima gastronomia regional, fazem desta pousada um destino perfeito em família ou casal.

Recheada de actividades como: Passeios de cavalo, carroça, jipe, bicicleta ou barco, pesca, caça e muito mais, tem a vasta possibilidade de escolher o programa que mais se adequa à sua personalidade.

E porque hoje é terça-feira, as reservas são a preços mais reduzidos através do site www.pousadas.pt ou telefone 218 442 001.

Não se esqueça de levar a sua cópia do OJE ou recorte deste artigo, e apresentar no momento do check-in. E receba uma garrafa de vinho da adega das Pousadas de Portugal. Oferta válida até ao fim do ano.

Para comentar este artigo ou sugerir temas contacte o autor por gourmet@live.com.pt.

VOUCHER
Um copo de vinho a acompanhar o prato principal
Restaurante Bocca
www.bocca.pt
Rua Rodrigo da Fonseca 87-D 1250-190 LISBOA
Tel. (+351) 213 808 383
Email: reservas@bocca.pt

Uma garrafa de vinho da Adega das Pousadas de Portugal
Pousada de Beja - São Francisco
www.pousadas.pt
Largo D. Nuno Álvares Pereira 7801-901 BEJA
Tel. (+351) 284 313 580
Email: recepcao.sfrancisco@pousadas.pt

Texto publicado originalmente no Lifestyle do diário OJE a 05 de Novembro de 2009

sexta-feira, 6 de Novembro de 2009

Hong Kong International Wine & Spirit Fair - Portugal marca presenca

OJE - Lifestyle - 2009.11.05

Portugal está representado naquela que é considerada a maior feira de vinhos da Ásia, que decorre em Hong Kong.
Já começou a segunda edição da maior feira de vinhos da Ásia - a HKTDC Hong Kong International Wine & Spirits Fair. Um evento que amanhã culmina, e que decorre no centro de exibições e convenções de Hong Kong, com o objectivo de fomentar e incentivar o mercado de vinhos na Ásia.

Segundo os responsáveis da Feira, Hong Kong está, de ano para ano, a afirmar-se como o grande ponto de entrada de vinhos no mercado asiático.

Este ano conta com mais de 500 expositores, entre os quais 25 são portugueses, numa iniciativa promovida pela Viniportugal e a FENADEGAS (Federação Nacional de Adegas Cooperativas) para representar o nosso país.

"Não produzimos vinhos em Hong Kong", refere Johnny Wan, responsável pelo certame, e acrescenta: "Assim, é seguro afirmar que esta feira é totalmente imparcial, sendo o local ideal para um evento internacional. O ano passado, na primeira edição, tivemos mais de 240 expositores de 25 países diferentes. Este ano contamos com mais de 500 expositores e cerca de 30 países diferentes".

A procura dos vinhos portugueses neste mercado aumentou 44% em 2008, representando mais de 1.3 milhões de dólares.

Uma das razões deste súbito crescimento é a proximidade a Macau, onde o vinho português pode ser encontrado em praticamente todos os restaurantes.

Márcio Ferreira da Viniportugal confessa "A abolição das taxas e a ausência de impostos, torna Hong Kong uma plataforma desejável de vinhos para a China. Assim sendo, é essencial estar presente neste evento, não só para criar visibilidade, como também para criar as oportunidades que este mercado procura. Nos últimos 3 anos, temos assistido a um crescimento da posição de Portugal bastante interessante e bastante revelador da oportunidade que é o mercado asiático."

Na primeira edição desta feira houve mais de 8.000 visitas profissionais, representadas por 55 países. Este ano, todos os números apontam para a duplicação destes valores.

Um dos aspectos interessantes é a estimativa que, só no mercado chinês, os valores de compras de vinhos cheguem aos 870 milhões até 2010.

Durante os dias em que se realiza a feira, os seus visitantes que são essencialmente produtores e compradores, poderão provar e comprar vinhos, assistir a workshops e conferências com temas ligados a este mercado, bem como podem assistir à assinatura do protocolo de criação do primeiro MBA ligado a vinhos.

No terceiro e último dia da feira haverá lugar a uma prova de vinhos asiáticos, onde concorrem mais de 1.300 rótulos, para o primeiro concurso da Cathay Pacific Hong Kong International Wine & Spirit Competitions. O júri para esta prova vai ser composto, unicamente, por experts asiáticos.

São três dias dedicados aos vinhos, produtores e compradores, em que a ordem de trabalhos é mostrar o que se faz de melhor no mundo e apresentar esses mesmos produtos ao mercado asiático.

Para comentar este artigo ou sugerir temas contacte o autor por gourmet@live.com.pt

Texto publicado originalmente no Lifestyle do diário OJE a 05 de Novembro de 2009

quinta-feira, 5 de Novembro de 2009

Restaurante 100 Maneiras

OJE - Lifestyle - 2009.11.04
Imagens Constantino Leite

Ljubomir Stanisic deixa o seu primeiro projecto a solo a olhar para a baía de Cascais, faz as malas, apanha o comboio e sobe ao Bair
ro Alto. Na mala leva a criatividade e a vontade de fazer algo novo na cozinha portuguesa. Junta-se a três amigos e lançam mão à obra, criando um 100 Maneiras mais forte, mais equilibrado e mais acessível.

As ementas ganham na criatividade, baixam no custo, e mantêm a qualidade.

O local escolhido foi o antigo "Olivier" e ainda mais antigo "Porta Branca". O chefe bósnio rapidamente fez esquecer a tentativa de chamar cozinha ao que anteriormente serviam, criando um luxo gastronómico que Lisboa precisava.

A decoração está perfeitamente enquadrada no tipo de cozinha praticada por Ljubomir: simples, visual e atenta ao detalhe.

Os tons claros das paredes fazem contraste com o preto das mesas, cadeiras e balcão do bar. Os quadros expressivos, o biombo rico em imagens cativantes, e as várias garrafas que substituem o roda tectos, são um conjunto de apontamentos deliciosos e que enriquecem fortemente o ambiente da casa.

Nos vinhos apresentam mais de 150 rótulos tintos, brancos, rosés, espumantes e champagnes, e todos eles fazem parte da escolha pessoal do chef.

As garrafas começam em valores dos 12€ até aos champanhes de 180€, e o vinho a copo que varia entre os 3,5€ a 12€. Nada mau se avaliarmos pela relação preço qualidade.

Larguemos os bebes e foquemo-nos na comida. A atitude é "cozinha de mercado", ou seja, traduzindo para uma linguagem mais simplista, aquilo que se vende nos mercados é utilizado para fazer a ementa, criando aqui um compromisso com os produtos de época.

Digamos que é uma cozinha sensata - servir tomates ou favas em Dezembro, ou trufa branca em Abril, é simplesmente ignorar as temporadas.

Vejam bem esta ementa: Estendal do Bairro; Espetada de pão com chouriço com creme de aipo e assado de legumes; Pastrami de Vitela com chucrute, creme de rúcula e lascas de queijo parmesão; Vieira salteada com espuma de batata, crumble de broa de milho e aroma de trufa branca; Pita de cogumelos com espinafres e camarão; Garoupa no vapor em crosta de azeitonas com xerém de arroz, crocante de nori e ar de Mar; Limpa palato de sorbet de romã com espumante estabilizado; Peito de pato assado com puré de cenoura e chalotas estufadas;

Pré-sobremesa de espuma de fatias douradas, calda de ameixas bêbedas e gelado de cerveja preta; Bom Dia;

Não vou falar dos pratos individualmente, mas irei destacar alguns.

O estendal do bairro que já se tornou no prato emblemático da casa. Simplicidade e paladar, são o sucesso desta criação.

Poderá ser tendencioso, mas realmente sou um apaixonado por vieiras, e estas conquistaram coração, língua e olhos. Cozinhada no ponto certo, e com uma combinação de texturas e sabores que se enquadram que nem uma sinfonia de Mozart, uma nota especial para o crumble de broa de milho que era simplesmente poético.

A surpresa melhor vem no fim, pois se olharmos bem para tudo o que foi comido, certamente que a conta se aproxima dos três dígitos!

Nada disso os menus variam entre os 28€ e 35€, e este em particular que inclui 10 pratos são trinta e cinco euros.

Parabéns ao Ljubomir e à sua equipa que tornaram a restauração de Lisboa num local mais apetecível.

Detalhes
Restaurante 100 Maneiras
Rua do Teixeira 35
1200-459 LISBOA
info@restaurante100maneiras.com
+351 910 307 575
+351 210 990 475
Horário: Segunda a sábado das 20h00 às 02h00
Preço Médio: 50,00 €
Tipo de Cozinha: Autor
Cartões: MB, VISA, AMEX
Notas: Recomenda-se reservar, estacionamento difícil.

quarta-feira, 4 de Novembro de 2009

O MEU MENU - Pelos Caminhos de Portugal

OJE - Lifestyle - 2009.11.03

Andei pelo centro empresarial de Lisboa à procura de um lugar em que conseguisse conjugar uma boa refeição, num local discreto, mas com um serviço excelente!

Foi a descer a rua Castilho que entrei no Hotel Altis, uma carta variada e cheia de opções gastronómicas: Creme de camarão com croutouns salteados em azeite e ervas aromáticas (3€); Filetes de dourada braseados com molho de manteiga e alho, e gratinado de legumes (14,5€); Lombinhos de porco à Bulhão Pato (13,5€); e Pastéis de Nata (1,75€).

Podemos encontrar este delicioso menu no Restaurante Rendez-Vous no Hotel Altis.

Além destes pratos que destaco vivamente, são diariamente criadas várias opções gastronómicas, baseadas nas compras matinais do chef.

Um pormenor que não deve ser deixado ao acaso, é que o Hotel Altis é membro da Chaîne de Rôttisseurs e da Ordre Mondial dês Gourmets Déguestateurs, o que o obriga a manter sempre o alto nível da qualidade gastronómica.

É um restaurante ideal para quem precisa de conciliar a boa confecção à discrição de um serviço de 5 estrelas.

E ao chegar à entrada deste espaço refira que vem recomendado pelo OJE, e ao pedir um prato principal receba como oferta um copo de vinho Vale de Areias.

Saio de Lisboa, meto-me pela A1 em direcção ao norte, e saio em Condeixa em direcção à Lousã. Quarenta minutos depois estou sentado à mesa, e faço a seguinte escolha: Creme de castanha; Bacalhau com Crosta de Azeitona; Bife do Lombo com Murrilhas; Trilogia de Doces Tradicionais ou bolo de chocolate quente.

Foi no Restaurante A Viscondessa, integrado no Hotel Meliá Palácio da Lousã.

A confecção é cuidada, usando muitos produtos locais, criando uma cozinha que se pode apelidar de contemporânea portuguesa.

As salas, que albergam os comensais são aprazíveis, uma decorada com um papel de parede em tons verde, e a outra rica em painéis e entalhados. Ambas muito confortáveis, combinando o gracioso aspecto decorativo à comodidade das cadeiras.

O Palácio dos Salazares, ou Palácio da Viscondessa do Espinhal, foi construído inicialmente em finais do Século XVIII, tendo sido totalmente remodelado para dar lugar ao primeiro boutique hotel do país. É o local ideal para a sua escapada de fim-de-semana, onde pode aliar a natureza, o conforto e a história, a uma gastronomia regional e de qualidade.

Não se esqueça de, no momento da reserva, mencionar o jornal OJE, e receberá um desconto de 10% sobre o BAR (Best Available Rate) do alojamento na noite do jantar. Promoção válida até ao fim de Novembro.

Para comentar este artigo ou sugerir temas contacte o autor por gourmet@live.com.pt.

VOUCHER
Um copo de vinho Vale de Areias para cada prato principal
Restaurante Rendez-Vous
www.altishotels.com
Rua Castilho, 11 1269-072 11 1269-072 Lisboa
Tel. (+351) 212 106 020 (+351) 212 106 020
Email: fb.manager@hotel-altis.pt

10% de desconto sobre o Best Available Rate do alojamento na noite do jantar.
Restaurante a Viscondessa - Meliá Palacio da Lousã Boutique Hotel
www.palaciodalousa.com
Rua Viscondessa do Espinal, 3200-257 Lousã
Tel. (+351) 239 990 800 (+351) 239 990 800
Email: info@palaciodalousa.com

Texto publicado originalmente no Lifestyle do diário OJE a 03 Novembro de 2009