quarta-feira, 2 de Junho de 2010

Quinta dos Avidagos

OJE - Lifestyle - 2010.06.02

Conta com mais de 300 anos de história, e um número muito maior de gerações que, desde o séc XVII, associa a família Nunes de Matos à agricultura e vitivinicultura na região do Baixo Douro.

A Quinta da Varanda foi adquirida em 1665, sendo mesmo uma das mais antigas da região. Em 1730, fruto de um casamento dos filhos da casa, junta-se, em dote, a Quinta do Torrão e mais tarde, já em 1940, adquirem a Quinta da Fírvida e Além Tanha.

A mais recente é a Quinta dos Avidagos que, além de ser a mais conhecida, é agora a casa da família, lagar e a imagem de marca.

Apesar de não ser um dos vinhos do Douro mais mediáticos, algumas das quintas já vêm incluídas no mapa do país vinhateiro feito pelo Barão de Forrester no séc. XIX, o que demonstra uma tradição vinhateira com muita história e longevidade.

Neste momento, têm quatro quintas dedicadas à produção de vinho, acumulando sensivelmente 70 ha, que resultam em duas marcas distintas: Além Tanha e Avidagos.

Recentemente, tive acesso a alguns dos seus vinhos e noto claramente uma evolução positiva, não só a nível qualitativo como de preços, criando uma boa relação preço/qualidade.

A sua gama de entrada a preços entre os €3 a €4, sendo eles o Quinta dos Avidagos Tinto, Branco e Rosé, são equilibrados e aveludados, podem ser bebidos a qualquer refeição, não obrigando a grandes pensamentos.

São vinhos que se bebem bem a qualquer momento.

Mas os que me encheram verdadeiramente a boca foram os reservas. Ora vejamos:

O Avidagos Reserva Tinto 2007, pontuado recentemente pela revista Wine com 17 pontos, é produzido a partir de vinhas em xisto e grande exposição solar, que infere às castas tinta roriz, tinta barroca e touriga franca e touriga nacional características únicas.

De um vermelho profundo, aromas fortes de frutos vermelhos maturados e ameixa preta, revela-se intenso e aveludado na boca, terminando num final longo.

Um vinho interessante, cheio de personalidade, ideal para pratos de carne pouco aromáticos. Podemos encontrá-lo no Continente e garrafeiras a partir dos 9,50€.

Ainda na gama Avidagos, temos o Grande Reserva 2007 tinto que, apesar do seu preço mais alto, 32€, não desilude na relação preço/qualidade.

Que o diga o júri de uma das mais importantes provas de vinhos do mundo, Concours Mondial de Bruxelles, que não hesitou em atribuir-
-lhe a medalha de ouro. Apesar de estar pronto para se beber, poderá ficar mais um tempo na garrafa a ganhar novas e melhores características.

Apresenta-se muito elegante no nariz, sobressaindo as notas vegetais e o doce da framboesa, na boca sente-se, de forma agradável, o fumado da madeira, as frutas maduras e uns taninos equilibrados, terminando forte e prolongado.

Fantástico para pratos muito intensos, como um cabrito à minhota ou umas tripas à moda do Douro.

Por último, falo um pouco do meu preferido, o Além Tanha Grande Reserva 2007. Está quase a ser apresentado ao mercado, mas penso que ainda vamos ter que esperar umas duas semanas, mas o preço rondará os 23€ e o potencial é estrondoso.

Na sua maioria produzido a partir de vinhas velhas e com um estágio de 12 meses em carvalho, tornou-se um vinho intenso no nariz, muito frutado. A boca revela equilíbrio, potenciando os frutos silvestres através de uns taninos firmes, e um final longo e apaixonante.

Bom para apreciar depois de um longo dia de trabalho ou simplesmente para degustar e apreciar.

São vinhos a degustar, apreciar e guardar mas, acima de tudo, são vinhos para se beber.

Texto publicado originalmente no Lifestyle do diário OJE a 2 de Junho de 2010

O meu menu : Pelos Caminhos de Portugal

OJE - Lifestyle - 2010.06.01

Depois de vários dias dedicados à música internacional, seja no Rock In Rio ou na apresentação do hino da selecção nacional, em que os hambúrgueres, cachorros e muitos refrigerantes foram a companhia gastronómica, é tempo de limpar o pó e pensar em repastos mais elaborados.

Ora delicie-se com esta sugestão: Salada de manga, papaia e gambas com vinagrete de lima; espetada de polvo com grelos salteados e batata em azeite extra virgem do Douro e alho confitado; tosta de queijo da Serra sobre rúcula; mousse de nozes com sorvete de tangerina - menu de degustação Chef Hélio (€50).

Mesmo no centro do Porto, estou a almoçar no restaurante Salsa e Loureiro dentro do Hotel Porto Palácio.

O espaço fala por si, ou não fosse o seu chefe o criativo e mediático Hélio Loureiro.

O chefe combina a sua técnica e experiência com a decoração sóbria e elegante do restaurante, resultando num local onde a gastronomia e o bom gosto andam de braço dado.

A garrafeira é uma verdadeira referência, sendo o primeiro contacto estabelecido com os olhos que degustam visualmente os rótulos que as vitrinas ostentam, mas não se esqueça de que é a boca que faz o juízo final.

É um local onde olhamos, bebemos e comemos e, garantidamente, saímos satisfeitos.

E porque locais como este não podem deixar de ser visitados, aqui vai mais um estímulo, basta levar uma cópia da edição de hOJE ou o recorte deste artigo para usufruir de um desconto de 10% na factura válido até dia 31 de Julho, excepto para os menus do dia.

Os últimos anos foram muito simpáticos em termos de vias rodoviárias: o que na minha infância era uma viagem de um dia, é hoje um passeio de poucas horas.

Assim, sem gastar muita gasolina e tempo, descobri esta maravilha: Tártaro de polvo em salada de folhagem diversa (€12,5); bacalhau com migas de broa, grelos e feijão-frade, puré de batata amanteigado (€22); posta barrosã com arroz malandro de tomate e couve salteada ao alho (€22); mousse de chocolate branco apimentado (€7); pudim Abade de Priscos (€7).

Com vista para a serra do Gerês e rio Cávado, estou a jantar no belíssimo restaurante Splendid do Aquafalls Spa Hotel.

É uma espécie de segredo relaxante escondido no interior nortenho de Portugal.
A sua gastronomia pode dividir-se em três vertentes: a internacional, a tradicional regional e a mais eclética, apelidada de spa cusine.

Os sabores, os aromas e a apresentação são mais do que boas razões para esta incursão, mas junte a paisagem, a cascata e o som da natureza e fica criado um ambiente único e apaixonante, que provavelmente vai recordar para sempre.

E porque o OJE acha que você deve conhecer este restaurante, até ao dia 30 de Junho leve a sua cópia do OJE ou recorte deste artigo e usufrua de uma oferta extraordinária de 10% de desconto no restaurante, 20% no alojamento e 15% no Spa.

Para comentar este artigo ou sugerir temas contacte o autor por gourmet@live.com.pt.

Voucher:
10% sobre a carta do restaurante até 31 de Julho (excepto menus do dia)
Restaurante Salsa e Loureiro
Hotel Porto Palácio - Av. da Boavista, n.º 1281 4100-130 Porto
W 8º 38' 19,6'' N 41º 9' 33,9''
Tel. (+351) 226 086 600
Email: reservaspph@sonae.pt

10% no restaurante, 20% no alojamento e 15% no SPA
Restaurante Splendid
www.aquafalls.pt
Lugar de S.Miguel-Caniçada 4850-503 Vieira do Minho
W 8° 12' 22.5" 41° 38' 53.3"
Tel. (+351) 253 649 00
Email: geral@aquafalls.pt

Texto publicado originalmente no Lifestyle do diário OJE a 1 de Junho de 2010