sexta-feira, 19 de Agosto de 2011

Restaurantes com reserva online (sem custos)

Bairro Alto Hotel e o restaurante Flores (€€, Lisboa)

O Bairro Alto Hotel e o restaurante Flores em Lisboa apostaram no chefe Vasco Lello para reestruturar a carta e dinamizar gastronomicamente o restaurante.

Ponto positivo para o esforço, e depois de duas visitas, uma para o almoço e outra para o jantar, destaco pratos como o bacalhau confitado com "ras-el-hanout", grão, harira, briouat e óleo de argan com muitas influências marroquinas e asiáticas, e a sela de coelho braseada e recheada com os "miúdos", a perna assada e desfiada com tomate, azeitonas e manjerona.

Apesar da forte influência na sua cozinha de um dos seus mentores, Aimé Barroyer, já dá para notar alguns traços da sua personalidade.

É certamente uma experiência a repetir.

Reserva Online

Clube dos Jornalistas (€€, Lisboa)

Foi uma das minhas visitas desta semana e desde já revelo que também ela muito positiva.

Não é muito normal, mas é uma agencia de Brand Culturing™ (transformar negócios em fenómenos culturais) que explora o espaço: Norma Jean.

Mas o importante é a escolha do chefe Ivan e da sua cozinha de expressionismo sentimental, que ainda não são marca, mas é uma cozinha acima de tudo saborosa.

O risoto de moqueca está lá para o provar!

Rua das Trinas 129, Lisboa
Reserva Online

Cimas (€€€€, Cascais)

Em Cascais quando se quer comer bem, beber bem e reviver os clássicos, o Cimas nome do restaurante e proprietário é sempre uma das opções.

Já foi English Bar, mas o nome não reflectia o tipo de gastronomia praticada e rápidamente mudou para um nome mais consensual.

Aqui tudo é bom e a doses de não deixar ninguem com fome, mas se quer começar pelos "clássicos da casa", experimente o gratinado de lagosta, as tostas de santola, a favada de caça e o fantástico cherne.

Avenida Marginal, Monte Estoril (Junto ao hotel Eden)
Reserva Online

EMO (€€€, Lisboa)

Fica integrado na luxuosa e fantástica unidade de cinco estrelas do Tivoli Victoria, em Vilamoura no Algarve, a região preferida de férias dos portugueses.

Tive a oportunidade de ir experimentar a nova carta do chefe Bruno e fiquei deveras impressionado: uma cozinha consistente, onde podemos perceber bem não só por onde este chefe andou pelo mundo, como a sua grande qualidade técnica e, acima de tudo, uma criatividade ponderada, onde o importante é a opinião do cliente.

Na sua visita recomendo que escolha uma mesa na varanda e experimente as “Vieiras e wasabi, sapateira e arroz de sushi” ou o “Filete de pregado em pele de pão, arbóreo de lima, alho selvagem” ou qualquer uma das saborosas sobremesas.

Reserva Online

Fortaleza do Guincho (€€€€, Cascais)

É provavelmente o melhor restaurante de cozinha francesa clássica noveau do país - eu pelo menos não encontrei melhor!

Fica junto à praia do guincho, numa fortaleza do século XVII debruçada sobre o oceano, sendo impossível não dar com ele. Lá dentro, na sala de jantar, além da vista sensacional, tem a criatividade dos dois chefes Westerman e Fargés, que pegam nos melhores produtos nacionais (principalmente peixe) e transformam em verdadeiras obras de arte.

A carta de vinhos também é excelente, não só nacional como internacional. Se gosta de foie, reserve a sua mesa e no momento peça logo esta iguaria (Foie gras de ganso da região de Landes, chutney de figos com gengibre, fina geleia de Moscatel de Setúbal), pois só é preparada por encomenda.

Estrada do Guincho, Cascais
Reserva Online

Hemingway (€€, Cascais)

Fica situado na Marina, sendo uma das melhores opções. Além da sala interior, tem uma exterior com vista para os estaleiros da prova e para o palco da prova: o oceano atlântico.

A cozinha é criativa e encabeçada pelo chefe Igor Martinho, que transforma o complicado em simples, sem perder ou estragar os aromas e texturas dos bons produtos com que trabalha.

Além de restaurante, o Hemingway
Certo que é a abertura e uma das corridas com menos emoção competitiva, mas todos querem começar com o pé direito, por isso vai haver certamente alguma luta.

Para quem lá vai a opção gastronómica é bastante lata e com muita qualidade. Cascais, apesar de Vila, tem uma grande diversidade no que respeita a restaurantes é um dos mais populares bares de cocktails, e quem for lá jantar pode prolongar a sua estadia ao som de um DJ, refrescando-se com um dos famosos cocktails e acompanhado de muita animação pela noite fora.

Marina Cascais 58 1º. Cascais.
Reserva Online

Panorama (€€€, Lisboa)

Com nova carta e uma criatividade sem limites está o novo menu do restaurante Panorama do Hotel Sheraton de Lisboa. Afirmo com segurança que o chefe Leonel Pereira é provavelmente o melhor chefe português da actualidade, e para sustentar a minha afirmação está a "capoeira".

Uma interpretação muito singular da canja, onde os sabores estão lá todos, e o pormenor do ovo em crescimento.

Bem, é melhor passar por lá para compreender o que eu digo. Este chefe algarvio cheio de memórias gustativas, consegue transpor para os seus pratos os valores e sabores dos pratos tradicionais portugueses, de uma forma criativa, palativa e muito visual.

Reserva Online

Praia do Peixe (€€, Comporta)

Fica na praia do Pego, perto do Carvalhal e da Comporta, na região onde para mim começam as melhores praias de Portugal.
Fica debruçado sobre o areal, por isso a vista não pode ser melhor, e depois da cozinha vêm várias iguarias totalmente irrecusáveis.
É claro que a proximidade ao mar e o nome evidenciam o produto nobre da casa: o peixe!
Mas o marisco também ganha destaque e os arrozes têm lugar especial na ementa.

Praia do Pego
7570-783 Carvalhal
Reserva Online

Ainda outros:
Alma (€€, Lisboa)
– É a cara e alma do chefe Henrique Sá Pessoa, que transforma a sua criatividade e conhecimento em deliciosas degustações gastronómicas. Calçada do Marquês de Abrantes nº 92-94, Lisboa - Reserva Online

BL Lounge(€€, Évora) – Um conceito diferente numa cidade clássica, aqui arroja-se na decoração, gastronomia e serviço. R. das Alcaçarias 25-3, Évora - Reserva Online

Casa Aleixo (€€, Porto) – Por mais anos que passem a fama dos melhores filetes de polvo do mundo mantem-se e só no "Aleixo" é que podemos perceber porquê? R. da Estação 216, Porto. - Reserva Online

Panorama (€€€, Cascais) – Bom peixe, marisco, boa carta de vinhos e um excelente serviço. Vista para o mar, esplanada e bar com balcão. Estrada do Guincho Praia do Guincho, Cascais - Reserva Online

Porto de Santa Maria (€€€€, Cascais) – Um dos mais sofisticados e luxuosos de Cascais, onde a especialidade é tudo o que lá se serve. Marisco, peixe, carne, estradinhas, uma carta de vinhos fantástica, principalmente de portos. Estrada do Guincho, Cascais - Reserva Online

Restaurante Egoista (€€€, Povoa de Varzim) – É um caso singular na região onde combina a excelencia dos produtos nacionais, com uma decoração sublime, terminando numa criatividade sem fim do chefe Herminio. Edifício Casino da Póvoa de Varzim - Reserva Online

segunda-feira, 8 de Agosto de 2011

Confissões de um gastrónomo - Restaurantes escandalosamente bons

Há vidas difíceis e a de um gastrónomo encartado é uma delas... Vicente Themudo de Castro elenca neste texto os melhores restaurantes por que passou nos últimos meses. Confissões e desabafos na primeira pessoa...


Um dia li esta frase: “Viver é a coisa mais rara do mundo. A maioria das pessoas apenas existe!”. Oscar Wilde, na sua sapiência escreveu a frase que melhor pode enquadrar as linhas que se seguem. Vivo a vida ofertando-me sempre que posso uma das coisas que mais me dá prazer: A experiencia de uma excelente refeição!

Pois é, nos últimos anos tive o prazer de viajar pelos vários cantos do mundo na demanda das melhores mesas, dos mais conceituados restaurantes, dos mais reputados chefes, que só uma carteira gorda ou um jornalista gastronómico têm o prazer de experimentar.

Brasil, Alemanha, China (Hong Kong), Croácia, Espanha, Inglaterra, França, EUA e ainda… bem, terá que ler para ficar a saber, mas fique a conhecer a lista dos melhores locais que visitei nos últimos meses.

Nem sempre o preço está associado a boa gastronomia. Aliás, há locais em que os produtos são tão exquisit que se paga por bife de kobe ou umas ovas de esturjão centenas de euros, e nem sempre são do nosso agrado, mas por outro lado os melhores dos melhores não são para todas as carteiras, e nem todas as carteiras passam por lá.

Começo por Espanha e por San Sebastian, a cidade do Europa com mais estrelas Michelin per capita, onde nomes como o Akelare de Pedro Subijana, Martin Berasategui do chefe com o mesmo nome, ou o Mugaritz de Andoni Luis Aduriz não envergonham ninguém. Mas para destacar um tenho de falar no mediático e ultra conceituado chefe Arzak, cuja casa que dirige foi baptizada com o seu apelido.

A sua história já remonta ao ano de 1897, quando os seus avós construíram o que outrora foi uma taberna da aldeia de Alza. Os anos passaram, e de taberna ganhou nome com casa de banquetes e festas.


Em 1966 foi o ano da viragem, quando o jovem Juan Mari terminou o curso e serviço militar e começou a trabalhar no restaurante. Desde então começou a aprendizagem, mais tarde a evolução, e em 1989 recebe a tão cobiçada terceira estrela Michelin!

Agora a sua filha Elena também se juntou à cozinha e também ela contribui para a tão merecida fama de um dos melhores restaurantes do mundo.


É difícil distinguir um prato neste restaurante, mas na minha última visita fiquei rendido aos “Mandriles de Chiprón”, umas lulas simplesmente divinais.

Arzak
Chefe Juan Mari Arzak
www.arzak.info
Avda. Alcalde Jose Elosegui, 273 20015 Donostia / San Sebastian - Espanha
+34 943 278 465 / +34 943 285 593

Elena & Juan Mari Arzak


Ainda em Espanha, andei pela fantástica região da Catalunha, perto dos Pirenéus, onde tive a oportunidade de visitar espaços como o El Bulli de Ferran Adriá, Sant Pau de Carme Ruscalleda e finalmente aquele que necessito de destacar - o El Celler Can Roca.


Não tenho pudor em dizer que este é provavelmente o restaurante mais completo do mundo!

A história teima em dar razão a uma máxima: quanto mais gerações e experiencia tem uma casa e os seus cozinheiros, mais forte é a probabilidade de serem os melhores.

Nesta casa são três irmãos que seguiram no negócio de família e o transformaram em algo único.

Os Roca, Juan na cozinha, Jordi na pastelaria e Josep como sommelier, personificam e elevam a expressão “negócio de família”.

O espaço é fantástico, uma decoração fantástica moderna, no entanto acolhedora e um palco único para as criações e sugestões Roca.


Além da fantástica refeição que aqui vai ter, não perca a oportunidade para visitar a mais extraordinária cave de vinhos que vi num restaurante.

El Celler Can Roca
Chefes Juan & Jordi Roca
www.cellercanroca.com
Can Sunyer 48 17007 Girona - Espanha
+34 972 222 157 / restaurant@cellercanroca.com

Jordi, Josep & Juan Roca


Vou saltar França onde distinguiria o L’Oxalys de Jean Sulpice , Le Chabichou de Michel Rochedy e Stéphane Buron e, finalmente, o Flocons de Sel de Emmanuel Renault, vou sobrevoar Londres onde pararia certamente no Fat Duck de Heston Blumenthal e vou directo para Bensberg perto de Colonia.


O restaurante chama-se Vendôme e fica no maravilhoso e fantástico Grande Hotel Schloss Bensberg e, apesar da sua fachada clássica, a cozinha revela-se inovadora, moderna e única sobre as talentosas mãos do chefe Wissler.


As apresentações dos pratos são exímias, sendo verdadeiros regalos ao olho, depois os aromas crescem e enchem uma sala de vontade de comer e quanto ao palato, dificilmente posso explicar a deliciosa experiencia que tive, mas certamente que nunca a esquecerei.

Vendôme
Chefe Joachim Wissler
www.schlossbensberg.com
Grandhotel Schloss Bensberg
Kadettenstraße, 51429 Bensberg, Bergisch Gladbach - Alemanha
+49 2204 420 / info@schlossbensberg.com

Joachim Wissler


Depois da Alemanha damos um salto de um pouco mais de 1000 quilómetros e acrescentamos à lista o Costes na Hungria, e curiosamente o Português é a língua mãe que se fala na cozinha, pois o seu chefe é o jovem Miguel Rocha Vieira.


Fica numa das ruas mais conhecidas de Budapeste, a Ráday utca, onde não faltam cafés, restaurantes, esplanadas e animação, mas o Costes distingue-se dos outros pela experiencia gastronómica, e depois claro, tem um português a conduzir os rumos da cozinha.


Vieiras, robalo ou foie gras são sempre apostas seguras, numa ementa que dificilmente tem algo que desilude.

Costes
Chefe Miguel Rocha Vieira
www.costes.hu
1092 Budapest, Ráday utca 5 - Hungria
+36 1 219 0696 / asztalfoglalas@costes.hu

Miguel Vieira


Ainda na Europa há locais como o Monte Mulini de Tomislav Gretic na Croácia, ou o Noma em Copenhaga, Dinamarca, recentemente aclamado como o melhor restaurante do mundo pela lista da San Pellegrino, mas vou saltar para a Ásia.

Há muito que se aclama o Japão como uma Meca de todos os géneros gastronómicos, mas foi em Hong Kong que descobri um local imperdível, não só pela história, como pela mística associada ao Hotel Mandarim Oriental e, principalmente, pela mão inspirada de Richard Ekkebus!


Este holandês tem uma máxima que só favorece a sua cozinha: “Os produtos não têm nacionalidade, só qualidade, e na minha cozinha só entram os melhores dos melhores”.



E não há nada a criticar nesta opção, pois tudo aqui é excelente.

A sazonalidade também é obrigatória e a sua equipa de 45 empregados de mesa, cozinheiros e pasteleiros fazem com que esta seja uma das mais fortes experiencias gastronómicas da Ásia.

Amber
Chefe Richard Ekkebus
www.amberhongkong.com
The Landmark Mandarin Oriental
15 Queen's Road, Central, Hong Kong
+852 2132 0066 / lmhkg-amber@mohg.com

Richard Ekkebus



Mas é claro que os nossos afilhados não foram esquecidos, e o continente americano, apesar de gigantesco e rico em oferta, é no Brasil que tem uma das melhores sugestões: o D.O.M..


Fica em São Paulo, apelidada de capital latina da gastronomia, e é chefiado pelo Alex Atala e tem a fama de ser o melhor do Brasil, da América do sul e um dos dez melhores do mundo.


D.O.M.
Chefe Alex Atala
www.domrestaurante.com.br
Rua Barão de Campanema 549 Jardins São Paulo - Brasil
+55 11 3088 0761

Alex Atala


Acabo a minha viagem gastronómica em Portugal e naquele que penso que vai se o próximo duas e provavelmente três estrelas Michelin - o restaurante Ocean em Porches, no luxuoso Vila Vita Park.


O jovem chefe Hans Neuner tem as melhores armas possíveis na batalha que é impressionar os clientes: Uma vista fantástica sobre o oceano, acesso aos melhores produtos nacionais com grande componente local e um serviço de pratos e de copos que faz inveja a qualquer dos melhores restaurantes mundiais.

E depois, o que é nacional é sempre bom e viajar cá dentro é sempre uma surpresa impressionante.

Ocean
Chefe Hans Neuner
www.vilavitaparc.com
VILA VITA Parc
Alporchinhos 8400-450 Porches, Algarve - Portugal
+ 351 282 310100 / reservas@vilavitaparc.com

Hans Neuner


Texto publicado originalmente na revista GO Magazine a 26 de Julho de 2011

sexta-feira, 5 de Agosto de 2011

Finalmente é sexta-feira e America's Cup

Estamos a poucas horas do America’s Cup, o maior e mais importante evento de vela no mundo inteiro, que desta feita vai se realizar em Cascais de 6 a 14 de Agosto.

Certo que é a abertura e uma das corridas com menos emoção competitiva, mas todos querem começar com o pé direito, por isso vai haver certamente alguma luta.

Para quem lá vai a opção gastronómica é bastante lata e com muita qualidade.

Cascais, apesar de Vila, tem uma grande diversidade no que respeita a restaurantes, aqui vão algumas sugestões:


Hemingway (€€)

Fica situado na Marina, sendo uma das melhores opções. Além da sala interior, tem uma exterior com vista para os estaleiros da prova e para o palco da prova: o oceano atlântico.

A cozinha é criativa e encabeçada pelo chefe Igor Martinho, que transforma o complicado em simples, sem perder ou estragar os aromas e texturas dos bons produtos com que trabalha.

Além de restaurante, o Hemingway
Certo que é a abertura e uma das corridas com menos emoção competitiva, mas todos querem começar com o pé direito, por isso vai haver certamente alguma luta.

Para quem lá vai a opção gastronómica é bastante lata e com muita qualidade. Cascais, apesar de Vila, tem uma grande diversidade no que respeita a restaurantes é um dos mais populares bares de cocktails, e quem for lá jantar pode prolongar a sua estadia ao som de um DJ, refrescando-se com um dos famosos cocktails e acompanhado de muita animação pela noite fora.

Marina Cascais 58 1º. Cascais.
T: 916 224 452
www.hemingwaycascais.com
Reserva Online

La Brasserie de L`Entrecôte (€€)

Também este fica na Marina, no piso térreo, e apesar de ter esplanada, a vista para o mar é reduzida, tendo um dos cais e os seus fantásticos barcos como vizinhos.

Aqui come-se sempre o mesmo prato, o entrecosto com molho de manteiga e ervas com batatas fritas (estilo café paris em Geneve), havendo espaço para variar nas sobremesas e nos vinhos, e em ambos casos tem muito por onde escolher.

Marina de Cascais - Loja 43, Cascais
T: 214 818 196
www.brasserieentrecote.pt

Cimas (€€€€)

Em Cascais quando se quer comer bem, beber bem e reviver os clássicos, o Cimas nome do restaurante e proprietário é sempre uma das opções.

Já foi English Bar, mas o nome não reflectia o tipo de gastronomia praticada e rápidamente mudou para um nome mais consensual.

Aqui tudo é bom e a doses de não deixar ninguem com fome, mas se quer começar pelos "clássicos da casa", experimente o gratinado de lagosta, as tostas de santola, a favada de caça e o fantástico cherne.

Avenida Marginal, Monte Estoril (Junto ao hotel Eden)
T: 214 681 254
www.cimas.com.pt
Reserva Online

Fortaleza do Guincho (€€€€)

É provavelmente o melhor restaurante de cozinha francesa clássica noveau do país - eu pelo menos não encontrei melhor!

Fica junto à praia do guincho, numa fortaleza do século XVII debruçada sobre o oceano, sendo impossível não dar com ele. Lá dentro, na sala de jantar, além da vista sensacional, tem a criatividade dos dois chefes Westerman e Fargés, que pegam nos melhores produtos nacionais (principalmente peixe) e transformam em verdadeiras obras de arte.

A carta de vinhos também é excelente, não só nacional como internacional. Se gosta de foie, reserve a sua mesa e no momento peça logo esta iguaria (Foie gras de ganso da região de Landes, chutney de figos com gengibre, fina geleia de Moscatel de Setúbal), pois só é preparada por encomenda.

Estrada do Guincho, Cascais
T: 214 870 491
www.guinchotel.pt
Reserva Online

Mar do Inferno (€€€)

Fica relativamente perto da Marina de Cascais, e suficientemente perto do mar para ser certamente um dos locais preferidos das pessoas que vêm para esta região assistir às várias regatas.

Aqui só mesmo o horizonte é que nos esconde o mar. Muito peixe, marisco fantástico, algumas (mas boas) carnes e muitos vinhos e cervejas frescas para acompanhar as iguarias e os dias quentes de sol na esplanada.

Quando lá for e se houver não deixe de provar as fantásticas bruxas de Cascais.

Av Rei Humberto II de Italia, Boca do Inferno – Cascais
T: 214 832 218
www.mardoinferno.com

Vela Azul (€)

É uma casa tipicamente familiar, espaço pequeno e de poucas mesas, cozinha muito reduzida, mas a dimensão é inversa à qualidade dos cozinhados que por ali são confecionados.

Qualquer peixe é especialidade, seja qual for a espécie ou o tipo de confecção, mas a açorda de marisco é certamente a melhor de Cascais.

Não há muito espaço, por isso aconselha-se a reserva, e como não estão abertos até muito tarde, aqui janta-se ao horário do norte da Europa.

Travessa Conde Castro Guimarães Lote 2, Cascais
T: 214 834 932

Pateo do Petisco (€)

Desde que abriu que tem sido um sucesso, o que prova mais uma vez que quanto mais simples (mantendo a qualidade), melhor e as pessoas gostam.

Aqui comem-se pratos simples como cascas de batata, croquetes de alheira, amêijoas, pregos, entrecosto e muitos mais petiscos que todos os dias são escritos a giz nas ardósias da casa.

Muita cerveja e alguns vinhos, boa disposição e sorte para conseguir uma mesa, definem um espaço jovem para todas as idades.

Travessa das Amoreiras 5, Cascais
T: 214 820 036

Ainda outros:
Panorama (€€€) – Bom peixe, marisco, boa carta de vinhos e um excelente serviço. Vista para o mar, esplanada e bar com balcão. Estrada do Guincho Praia do Guincho, Cascais. T: 214 870 062 - Reserva Online

Porto de Santa Maria (€€€€) – Um dos mais sofisticados e luxuosos de Cascais, onde a especialidade é tudo o que lá se serve. Marisco, peixe, carne, estradinhas, uma carta de vinhos fantástica, principalmente de portos. Estrada do Guincho, Cascais. T: 214 879 450. www.portosantamaria.com - Reserva Online

Vin Rouge (€€) – É um dos espaços mais interessantes da Vila de Cascais e fica na Vila Albatroz junto à praia do pescador. Boa comida de inspiração francesa. Rua Fernandes Tomás 1, Cascais. T: 214 684 439.www.restaurantevinrouge.com

Entraguas (€€€) – Como quase todos os restaurantes junto ao mar, gaba-se o peixe e o marisco. Uma decoração muito gira e muito romântica para o serão. Estrada do Guincho 275, Cascais. T: 214 843 258

Pereira (€€) – Boa comida num estilo mais rústico e de conforto. É um bom restaurante principalmente quando a dona está fora de lá. Travessa da Bela Vista, Cascais. T: 214 481 574

Correio da Areia (€€) – Muito rústico mas com dois pratos que me encantam, mexilhões à espanhola e o bife com batatas fritas (à moda antiga). Estrada da Areia 1406, Areia. T: 214 869 039

Confraria (€€) – Para quem gosta de Sushi e das suas fusões, este é um dos locais preferidos pelos locais, e acima de tudo, é perto da marina e do centro da Vila. Rua Luís Xavier Palmerim 14. T: 214 834 614. www.confrariasushi.com

Novidades do José Avillez

Para aqueles que já há varios meses queixavam-se que comida do José Avillez, só do catering ou de uma das suas lojas de comida pronta, preparem-se não para apenas uma, mas duas novidades e ambas na zona do Chiado em Lisboa.

Primeiro e na toada que já temos assistido em vários chefes, vai abrir um restaurante em Setembro que se chamará Cantinho do Avillez.

A ideia é criar um espaço simples, descomplexado com uma cozinha simples, no entanto sofisticada

A outra abertura está agendada para o incicio de Outono, onde o chefe Avillez irá tomar conta de um dos restaurantes mais emblemáticos de Lisboa, o Belcanto.

Aqui a cozinha irá ser certamente mais sofisticada e criativa (para alguns como eu, esperamos que os ovos à professor se mantenham na carta), se é para lutar por uma estrela ainda é cedo para o dizer!

Depois do silencio, certamente que há muito para falar e escrever sobre este jovem chefe nos proximos meses.

Cantinho do Avillez
Rua dos Duques de Bragança, 7
Lisboa

Belcanto
Largo de S. Carlos, 10
Lisboa

quarta-feira, 3 de Agosto de 2011

Churchill's lança dois novos Estates

A Churchill apresentau ao mercado português a colheita de 2010 do “Churchill´s Estates Branco Douro” e do “Churchill’s Estates Rosé”, originais de vinhas situadas na sub-região do Cima Corgo.

Produzido exclusivamente da casta Touriga Nacional, o “Churchill’s Estates Rosé 2010” apresenta uma suave cor salmão e notas de manga e clementinas no aroma. Bem como ainda para o palato vivo e delicado, com nuances de pêssego e maracujá, terminando num longo e refrescante final.

O “Churchill´s Estates Branco Douro 2010”, composto por três variedades de castas – Rabigato (70%), Viosinho (20%) e Vinhas Velhas (10%) -, tem uma leve cor lima, ao qual se junta um aroma a notas de limão fresco com nuances de pinheiro e hortelã. Delicado na prova, combina notas resinosas e citrinas com uma acidez bem definida conferindo-lhe um vivo e fresco final.

Recomenda-se o “Churchill Estates Branco Douro 2010” como acompanhamento de pratos tradicionais de peixe, como amêijoas à Bolhão pato, robalo grelhado ou ao sal, sardinhas assadas, dourada grelhada, arroz de marisco ou arroz de tamboril. Uma combinação que permite apreciar como combina e harmoniza a acidez e frescura natural do vinho com os sabores destes pratos únicos e muito portugueses.

Para o “Churchill’s Estates Rosé 2010” sugere-se como acompanhamentos pratos frios, nomeadamente maionese de peixe ou camarão, salada russa, carnes frias e saladas.

De salientar que ambos devem ser servidos frescos, a uma temperatura entre os 10-12ºC. O preço destes vinhos da Churchill’s varia entre os €6,00 e €10,00, encontrando-se à venda nos seguintes locais:
El corte Ingles (Lisboa e Porto)
Coisas do arco do Vinho (Lisboa)
Wine Company (Lisboa)
Alberto Augusto leite (Porto)
Filipe Dias Pereira / Garrafeira Ideal (Leiria)
Nelson Santos, Lda. (Valongo)

Ideal a acreditar em Portugal

É um dos projectos mais inovadores e arrojados de investimento em vinha, as suas infra-estruturas, vinho, produção e distribuição

Nada foi deixado ao acaso e tudo é pensado para atingir a meta principal: fazer vinho de qualidade de forma sustentável e que se enquadra ao perfil de consumo, não só dos portugueses, mas também dos mercados internacionais. Assim nasce em 2010 a Ideal Drinks SGPS, SA.

É uma verdadeira reviravolta na vida do empresário e investidor Carlos Dias, que depois de vários anos na Suíça, onde criou a marca de relógios de luxo Roger Dubuis, vende a empresa e volta para Portugal, sua terra mãe, e desenvolve o seu negócio em duas áreas: Energias renováveis e aquela que nos leva a escrever hoje, os vinhos.

O investimento no sector dos vinhos e sua produção é forte e bem pensado, começando na Quinta da Pedra em Monção, conhecida pelos seus alvarinhos, passando pelo Paço da Palmeira, perto de Braga, onde produz um Loureiro de grande qualidade, e também pelas Colinas de São Lourenço na Anadia onde produz os famosos Bairradas, terminando os seus investimentos (por enquanto) na Quinta da Bella Encosta no Dão.

Tudo somado são aproximadamente 160 hectares preparados e dedicados a transformar as melhores uvas em vinhos, espumantes e destilados, assegurados pelos melhores profissionais e técnicas na demanda da excelência.

Ora, vamos iniciar a nossa viagem na Ideal começando o mais a norte possível, mais precisamente na Quinta da Pedra, que se situa na sub-região de Monção e Melgaço!

Tem precisamente 40 hectares de vinha em solos graníticos e clima moderadamente seco, proporcionando-se a exposição perfeita e mais adequada para os alvarinhos, dispondo mesmo da maior parcela contínua desta mesma casta, organizada em cordão simples e duplo.

As modernas instalações adegueiras não são só um local de produção e de apoio à vitivinicultura, como também um local de visita, pois são todas construídas em granito e madeira, sendo um local fantástico onde poderão ser vistas as mais recentes técnicas e equipamentos para vinificação.

Um destaque especial para a grande câmara frigorifica que cria exactamente as mesmas condições proporcionadas no estágio numa cave convencional.

Daqui saem vários produtos :
Já na Bairrada o perfil é completamente diferente, o nome da propriedade é um espelho do formato do terreno: Colinas de São Lourenço, pois os 80 hectares de vinha estão espalhados pelas cadenciadas colinas típicas da região.

O terroir da Bairrada ganha muito das suas características em x pontos principais: o clima temperado, os solos argilo-calcários e, principalmente, a moderada influencia atlântica suavemente protegida pelas serras do Caramulo e Buçaco.

A vinificação é feita na moderna e recente adega, construída e pensada totalmente de raiz, baseada nos melhores exemplos mundiais, não só pela qualidade instituída aos seus vinhos, bem como a capacidade de aproveitamento sustentável à produção.

Uma das suas características é ter sido toda edificada de forma a que as massas e líquidos se movam na sua totalidade através da gravidade, reduzindo a energia dispensada no seu transporte e aumentando a performance da produção.

Já no Dão, é a Quinta da Bella Encosta onde se centram os investimentos e intenções, começando por plantar 50 hectares de touriga e contruir uma adega pronta para transformar as ricas uvas que irão sair da nova vinha num bom néctar.

Nada do que foi descrito, poderia ser realizado sem a assistência técnica dos melhores profissionais do sector, sendo mesmo porta estandarte da empresa reunir-se com os melhores do sector, la creme de la creme.

Destacam-se nomes como o enólogo Anselmo Mendes, sobejamente conhecido pelo seu rigor técnico e qualitativo, frequentemente referenciado e elogiado pela imprensa nacional e estrangeira, pelo seu trabalho, principalmente no que se refere a vinhos verdes.

Pascal Chatonnet, é outro dos profissionais que se juntou e enriquece esta espécie de dream team da enologia, enólogo, e um dos maiores especialista de barricas do mundo.

A aposta na comercialização e distribuição é um dos aspectos mais arrojados da empresa, havendo uma direcção comercial única, que se divide no mercado nacional (norte, centro e sul) e internacional (Angola, Brasil, EUA e Ásia: China, Hong Kong e Singapura), com metas firmes e alcançáveis, garantida e assegurada por uma equipa bastante profissional e competente da área comercial.

Estão a dar os primeiros passos em Portugal, mas já demonstram muito sabedoria e agilidade nos mercados dos vinhos, mostrando acima de tudo, que com profissionais competentes, força de vontade e acima de tudo credibilidade, pode-se apostar e acreditar no mercado português.

Texto publicado originalmente na revista GO Magazine a 26 de Julho de 2011


VINHOS DA IDEAL DRINKS:

COLINAS BRANCO 2009
Região Demarcada da Bairrada
Castas: Chardonnay e Arinto
Graduação: 12,00%
Tempo de Guarda: 3 a 4 anos
Nota de Prova
Cor citrina, com notas de fruta madura e frescura característica de ano de colheita.
Um vinho fresco, elegante e persistente.

COLINAS TINTO 2005
Região Demarcada da Bairrada
Castas: Touriga Nacional, Merlot, Baga
Tempo de Guarda: Mais de 5 anos
Nota de Prova
Cor rubi com nuances acastanhadas, aroma evoluído, com bom bouquet. Com corpo presente, em que os taninos prolongam a prova numa harmonia que tornam o vinho agradável e com carácter.

COLINAS TINTO 2006
Região Demarcada da Bairrada
Castas: Touriga Nacional, Merlot, Baga
Graduação: 13,00%
Tempo de Guarda: Mais de 5 anos
Nota de Prova
Cor rubi fechada com nuances acastanhadas, aroma rico, fruta madura e notas baunilhadas. Alguma evolução do estágio em garrafa. Vinho harmonioso na boca, com alguma complexidade do estágio e persistente.

COLINAS TINTO 2007
Região Demarcada da Bairrada
Castas: Touriga Nacional, Merlot e Cabernet Sauvignon
Graduação: 13,00%
Tempo de Guarda: Mais de 5 anos
Nota de Prova
Cor rubi fechada com nuances acastanhadas, aroma rico, fruta madura e notas baunilhadas. Alguma evolução do estágio em garrafa. Vinho harmonioso na boca, com alguma complexidade do estágio e persistente.

COLINAS ROSÉ 2009
Região Demarcada da Bairrada
Castas: Touriga Nacional, Pinot Noir, e Jaen
Graduação_ 12,50%
Tempo de Guarda: 3 a 4 anos
Nota de Prova
Cor rosa pétala, com aroma intenso, frutos vermelhos frescos. Vivo na Boca, de sabor rico e persistente.

PRINCIPAL RESERVA TINTO 2007
Região Demarcada da Bairrada
Castas: Touriga Nacional, Cabernet Sauvignon e Merlot
Graduação: 13,50%
Tempo de Guarda: Mais de 5 anos
Nota de Prova
Cor granada fechado, aroma complexo, fruta vermelha (amora, cereja preta e fi go) muito madura, com notas de chocolate negro. Madeira bem casada com o vinoso do vinho. Vinho encorpado, com carácter e taninos nobres presentes, numa harmonia, que persiste e dá longevidade.

PRINCIPAL GRANDE RESERVA TINTO 2006
Região Demarcada da Bairrada
Castas: Touriga Nacional, Cabernet Sauvignon e Merlot
Graduação: 13,50%
Tempo de Guarda: Mais de 10 anos
Nota de Prova
Granada intenso com nuances acastanhadas, aroma de bouquet complexo, com notas de cacau, chocolate preto e tabaco, bem integradas com os aromas de estágio em carvalho francês e em garrafa. Na boca, é um vinho de estrutura forte, taninos nobres ainda com frescura, que se prolongam harmoniosamente.

PRINCIPAL ROSÉ TÊTE DE CUVÉE 2009
Região Demarcada da Bairrada
Castas: Pinot Noir
Graduação: 12,50%
Tempo de Guarda: Mais de 4 anos
Nota de Prova
Leve cor rosa salmonada. Aroma personalizado pela casta predominante, particularidade da fermentação, estágio em carvalho francês e ainda pelo trabalho dos vinhos sobre as leveduras de fermentação. Na boca é cheio e rico, fresco e persistente. De grande harmonia.

PRINCIPAL RESERVA BRANCO 2009
Região Demarcada da Bairrada
Castas: Chardonnay e Sauvignon Blanc
Graduação: 12,50%
Tempo de Guarda: Mais de 4 anos
Nota de Prova
Cor citrina dourada, com aroma intenso de fruta e da madeira, onde fermentou. Rico de sabor na boca, de bom corpo, harmonioso e persistente. Com notas de frescura que lhe garantem longevidade

ROYAL PALMEIRA 2009
Região do Minho
Casta: Loureiro
Graduação: 12,50%
Tempo de Guarda: 3 a 4 anos
Nota de Prova
Límpido e citrino, complexo com aroma fl oral e frutado, originais da casta Loureiro. De sabor delicado e fresco, complexo e persistente.